Acordo entre São Paulo e Rio coloca fim à disputa por água

Por fabiosaraiva
Reservatório de Jaguari-Jacareí, do sistema Cantareira  | Luis Moura/Folhapress Reservatório de Jaguari-Jacareí, do sistema Cantareira | Luis Moura/Folhapress

Os Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro encerraram, com mediação do governo federal, a discussão sobre o abastecimento  de água e energia envolvendo a bacia do rio Paraíba do Sul, que além de SP e RJ, atende a Minas Gerais.

A ministra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira, e representantes dos 3 Estados participaram da reunião, ocorrida em Brasília.

Ficou acertado que São Paulo aumentará a vazão do reservatório da usina do rio Jaguari, de 10 m3 por segundo para 43 m3 por segundo, acima do determinado pelo ONS (Operador Nacional do Sistema), que é de 30  m3 por segundo. Para compensar, diminuirá de 80 m3 por segundo para 43 m3 por segundo a vazão do reservatório de Paraibuna.

A Cesp, que libera a água das duas represas, fará as mudanças a partir desta quarta-feira.

Já o Rio e Janeiro vai reduzir a captação da bacia de 165 m³ por segundo para 160 m³ por segundo.

Segundo a ministra, o objetivo do acordo é prolongar a capacidade de abastecimento, para que dure até o final deste ano. Dos 37 municípios atendidos pela bacia, 26 estão no Rio e 11 em São Paulo.

A situação será colocada em pauta novamente em setembro, quando os governos irão analisar a situação dos reservatórios.

A disputa começou nas últimas semanas, quando a Cesp (Companhia Energética de São Paulo) diminuiu a vazão do reservatório de Jaguari-Jacareí para a represa do rio Paraíba do Sul. O Estado do Rio de Janeiro afirmou que o corte poderia prejudicar o sistema de eletricidade. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo