Moto achada pode ter sido usada em crimes em Goiânia

Por Carolina Santos

A polícia investiga se uma moto preta encontrada num matagal em Goiânia tem ligação com o matador em série acusado de ter assassinado 15 mulheres desde o começo do ano. Dois suspeitos continuam detidos.

O veículo, que estava sem placa e com o chassi adulterado, foi encontrado após uma denúncia anônima. A moto estava em um lote baldio em um setor da periferia da Goiânia e se parece com a descrita pelas testemunhas dos ataques do suposto matador de mulheres.

Além da moto, também foi encontrado um capacete preto, mas a polícia não confirma se eles foram usados nos crimes. A situação em que a moto foi encontrada é suspeita, já que, apesar do chassi adulterado, não há queixa de roubo. Agora, só a perícia pode estabelecer algum envolvimento com a onda de crimes contra mulheres na capital.

A moto e o capacete se juntam a outros objetos que estão sendo periciados na investigação. A polícia já tem dois suspeitos em prisão preventiva. Um deles foi preso por assaltar uma padaria no conjunto morada nova, um dia antes de Ana Lídia Gomes, de 14 anos, ser morta. A menina é a vítima mais recente do grupo de 15 casos investigados. Na casa do suspeito foi apreendida uma moto vermelha, que era roubada. Ele havia fugido para o interior do estado, dizendo ter medo de retaliações e nega ter matado a garota.

O outro preso é suspeito de uma morte e uma tentativa de homicídio. O que se sabe é que trabalha como entregador em uma farmácia e estava cumprindo pena por assalto, no regime semiaberto. Ele estava com a tornozeleira eletrônica, que ajudou na prisão.

A força-tarefa para a investigação reúne 16 delegados, 30 agentes de polícia e 10 escrivães. Até então, a maior evidência dos crimes são imagens de câmeras de segurança, que mostram o motoqueiro passando pelos locais. No entanto, a resolução é baixa, o que tem dificultado o trabalho.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo