Motorista que atropelou idoso na USP vai para CDP de Pinheiros

Por Carolina Santos
Veículo só parou após bater em árvore e em placa de sinalização  | Marco Ambrosio/Folhapress Veículo só parou após bater em árvore e em placa de sinalização | Marco Ambrosio/Folhapress

O motorista Luiz Antônio Conceição Machado, preso por atropelar e matar um idoso que corria na Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo, vai ser transferido para o CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pinheiros. Ele passou por exames no IML (Instituto Médico Legal) antes da transferência, na manhã desta segunda-feira.

Machado está preso por lesão corporal e homicídio culposo, quando não há intenção de matar, além de embriaguez ao volante.

MP quer mudar tipo de crime contra atropelador da USP

O maratonista Álvaro Teno, de 67 anos, atropelado na Cidade Universitária foi enterrado no final da tarde deste domingo no cemitério do Araçá, na zona oeste. O motorista que atingiu e matou Teno foi preso e indiciado por homicídio culposo (sem intenção), lesão corporal e embriaguez ao volante.

O acidente aconteceu por volta das 9h de anteontem. A vítima e mais quatro pessoas corriam na Cidade Universitária, próximo à faculdade de Educação, quando foram atingidos por um Toyota Corolla em alta velocidade. O veículo era conduzido pelo pedreiro Luiz Antonio Machado, de 43 anos.

Leia também:
Trânsito já causou mais de 500 mil mortes em 10 anos
Carro atropela casal e criança na zona oeste de São Paulo

Teno foi arremessado a uma altura de dois metros. Ele foi levado ao hospital Universitário, mas morreu ainda na manhã de sábado.

A médica Eloísa Pires do Prado, de 43 anos, ficou gravemente ferida. Ela foi levada para o hospital Samaritano, onde passou por cirurgia e está em recuperação. Os outros três feridos –um homem e duas mulheres – foram liberados após atendimento médico.

Preso em flagrante, Machado apresentava  sinais de embriaguez, comprovado após teste de bafômetro. Testemunhas afirmam que, após os atropelamentos e choque contra uma árvore, Machado tentou fugir.

O MP (Ministério Público) pedirá a mudança da tipificação do crime para doloso (quando há a intenção de matar) e protocolou uma representação solicitando a conversão da prisão em flagrante para preventiva.

Em nota, o MP afirma que “o indiciado revelou conduzir o veículo com dolo eventual, assumindo o risco de matar aqueles corredores que, rotineiramente, praticam seu esporte dentro da Cidade Universitária”.

Corredores pedem mais segurança
Corredores e ciclistas que treinam na Cidade Universitária pedem mais segurança no campus depois de um motorista embriagado atropelar cinco pessoas no último sábado. De acordo com os atletas, falta sinalização no campus e os assaltos também são constantes.

Uma das vítimas do acidente, Álvaro Teno, de 67 anos, morreu e foi enterrado neste domingo. A médica Eloisa Pires do Prado teve múltiplas fraturas e passou por cirurgia no Hospital Samaritano.

As outras três pessoas que ficaram feridas já foram liberadas.

O motorista Luiz Antônio Conceição Machado está preso por lesão corporal e homicídio culposo, quando não há intenção de matar, além de embriaguez ao volante.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo