Carro atropela casal e criança na zona oeste de São Paulo

Por Carolina Santos
Acidente foi próximo ao Sesc Pompéia | Ronaldo Rodrigues/SulAmérica Trânsito Acidente foi próximo ao Sesc Pompéia | Ronaldo Rodrigues/SulAmérica Trânsito

A Justiça de São Paulo estipulou nesta segunda-feira  uma fiança de R$ 55 mil para permitir que o pedreiro Luiz Antônio Conceição Machado possa responder em liberdade por homicídio culposo (sem intenção) pelo atropelamento de um grupo de corredores e pela morte de um idoso dentro da USP (Universidade de São Paulo) no sábado.

A pena para esse crime varia de 3 a 6 anos de detenção e pode ser cumprida em regime aberto. Até as 22h de segunda, esse valor ainda não havia sido pago.

Leia também:
•Trânsito já causou mais de 500 mil mortes em 10 anos

O motorista dirigia um Toyota Corolla na Cidade Universitária quando atingiu cinco corredores que estavam na faixa da direita.  O analista de sistemas Álvaro Teno, 67 anos,  – que corria há 30 anos no local – , faleceu. Três pessoas receberam alta do hospital. A médica Eloisa Pires Prado, continua internada com fraturas nas pernas.

Machado foi preso em flagrante. O teste do bafômetro apontou que ele ingeriu álcool. Além disso, testemunhas disseram que o motorista dirigia em alta velocidade e tentou fugir do local sem prestar socorro.

Rua Clélia

O motorista que atropelou mãe e filha na Rua Clélia, na Lapa, anteontem, disse à polícia que perdeu o controle do carro porque cochilou, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”. O cabeleireiro Ivo Carlos Moreira, de 38 anos estava com a carteira de habilitação vencida desde 2010. A criança recebeu alta ontem. A mãe, que teve traumatismo craniano, permanece internada em estado grave. 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo