Em 6 meses, 32 pessoas morreram em assaltos a banco no Brasil

Por lyafichmann
De acordo com a Febraban, no dia 24 de dezembro, os bancos podem estabelecer horários especiais / Marcelo Camargo/Agência Brasil O número é 6,7% maior que o registrado no mesmo período do ano passado | Marcelo Camargo/Agência Brasil

Entre janeiro e junho deste ano, 32 pessoas morreram em assaltos a bancos em todo o país. O número é 6,7% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. O levantamento foi feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e pela Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) com base em notícias veiculadas pela imprensa.

O crime conhecido como “saidinha de banco”, em que uma pessoa é assaltada logo após sacar dinheiro, provocou 20 dessas mortes. O assalto a correspondentes bancários, como casas lotéricas, aparece em segundo lugar na estatística com quatro mortes.

Os clientes representam a maior parte das vítimas: 22 morreram no primeiro semestre deste ano em assaltos a bancos, seguidos por dois policiais, um vigilante e outras sete pessoas, entre elas, vítimas de balas perdidas em tiroteios.

São Paulo é o estado que registrou mais mortes em assaltos a banco no período (12), seguido pelo Rio de Janeiro (quatro) e Pernambuco (três).

Para as entidades de trabalhadores, as mortes em assaltos a bancos revelam a escassez de investimentos dos bancos para melhorar a segurança dos estabelecimentos e garantir um atendimento seguro para os clientes e a população, de acordo com o presidente da Contraf, Carlos Cordeiro. “Mais do que muito preocupantes, essas mortes comprovam o descaso e a indiferença dos bancos para a prevenção de assaltos e sequestros. Eles continuam enxergando a segurança como custo e não como investimento na proteção da vida de trabalhadores e clientes”, acrescentou.

Sobre o aumento no número de mortes em saidinhas de bancos, Cordeiro disse que as instituições deveriam instalar biombos entre a fila de espera e os caixas, além de divisórias individualizadas entre os guichês para impedir esse tipo de crime. “O biombo é uma das medidas testadas e aprovadas no projeto-piloto de segurança bancária, que está terminando este mês no Recife, em Olinda e Jaboatão dos Guararapes (Pernambuco). Queremos que seja estendido para todo o país, a fim de ajudar a combater a saidinha de banco e evitar novas mortes”, disse Cordeiro.

A Federação Brasileira de Bancos, entidade que representa o setor bancário brasileiro, ainda não se pronunciou sobre o levantamento.

Loading...
Revisa el siguiente artículo