Reunião de agentes penitenciários com governo termina sem acordo

Por Carolina Santos
Agentes penitenciários na frente da unidade Professor Ataliba Nogueira, em Campinas | Denny Cesare/Folhapress Agentes penitenciários na frente da unidade Professor Ataliba Nogueira, em Campinas | Denny Cesare/Folhapress

Terminou sem acordo a reunião entre o sindicato dos agentes penitenciários e secretários do governo do Estado no Palácio dos Bandeirantes, que começou às 11h desta terça-feira e durou cerca de duas horas. A greve da categoria continuará pelo menos até quarta-feira.

As assembleias que aconteceriam na noite desta terça-feira para avaliar a proposta do governo foram canceladas e uma nova rodada de negociações está marcada para a manhã desta quarta-feira.

Os servidores querem correção salarial de aproximadamente 20%, como reposição de perdas causadas pela inflação, mais 5% de aumento real, entre outras melhorias.

Nesta segunda, os agentes penitenciários de São Paulo decidiram suspender a paralisação por 48 horas, seguindo uma sugestão do Ministério Público do Trabalho.

Na última sexta-feira, Secretaria da Administração Penitenciária informou que 55% das unidades prisionais do estado estavam com parte dos serviços paralisados.

Desde que começou, há 16 dias, a greve provocou a superlotação de celas em delegacias, o cancelamento de julgamentos de presos e confrontos de agentes penitenciários com a Tropa de Choque da Polícia Militar.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo