PM leva 1,7 mil homens à rua para ‘escoltar’ protesto em SP

Por george.ferreira

Com 1,7 mil homens na operação, a PM (Polícia Militar) “escoltou” os cerca de 1,5 mil manifestantes que participavam ontem do terceiro ato contra a Copa do Mundo desde a saída do Largo da Batata, por volta das 19h, até a chegada à avenida Paulista.

O cerco da PM contou com 48 homens da chamada “tropa do braço” – soldados especializados em artes marciais– e do batalhão de choque, que teve parte de seus soldados atuando sem identificação nas fardas. Durante a passagem pela avenida Rebouças, manifestantes, entre eles jovens usando máscaras, e policiais militares seguiram lado a lado sem registro de enfrentamentos. Todo o trajeto foi filmado pela polícia.

Comerciantes e lojistas fecharam os estabelecimentos mais cedo com medo de depredações e de atos de vandalismo.

Na chegada à Paulista, homens da Rocam (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas) já esperavam pelo grupo. A tática da PM foi de formar dois cordões de isolamento e, dessa forma, impedir a movimentação do grupo. Quando um pequeno grupo furou o bloqueio, entre as alamedas Casa Branca e Pamplona, foram registrados os primeiros focos de confronto.

Jovens mascarados pegaram copos de um restaurante e atiraram contra os policias, que agiram utilizando cassetetes. Não foi registrado o uso de balas de borracha e de gás lacrimogêneo.
Uma agência do Banco do Brasil teve a fachada destruída. Por volta das 21h30, as estações Brigadeiro, Trianon-Masp e Consolação tiveram seus acessos fechados. Os vidros das estações e muros de prédios na Paulista acabaram pichados.

Durante o confronto, policiais militares cercaram uma loja da rede Starbucks. Funcionários e frequentadores ficaram presos na loja até a dispersão de um grupo de mascarados que estava na frente do local.

Segundo a PM, a ação foi necessária após o uso de um coquetel molotov contra os policiais. A ação teria sido cometida por jovens que adotam a tática Black Bloc.
Após controlada a situação, os manifestantes seguiram, ainda sob escolta, no sentido Paraíso. Parte do grupo decidiu seguir para a rua Vergueiro, onde foram registrados novos choques. Cerca de 200 manifestantes decidiram seguir para a região da Sé. Até as 23h30, não haviam sido registrados confrontos ou atos de vandalismo.

Detidos

A polícia informou que cinco pessoas foram detidas durante o ato. Como forma de comparação, no ato anterior, realizado no dia 22 de fevereiro, 262 pessoas foram presas.
Entre os detidos de ontem estão um menor de 15 anos e um jovem de 25 anos. Eles foram encaminhados ao 14º DP (Pinheiros). Ambos deixaram o local após o registro de apreensão de objetos. A OAB montou um plantão de atendimento de sua Comissão de Direitos Humanos.

 

Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters
Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters
Demonstrators hold posters during a protest against the 2014 World Cup, in Sao Paulo Nacho Doce | Reuters

 

Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters
Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters
Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters
Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters
Nacho Doce | Reuters Nacho Doce | Reuters

 

[poll id=”208″]

Loading...
Revisa el siguiente artículo