Jovem é morto em frente a casa noturna em SP

Os dois seguranças suspeitos de matar um jovem na saída de uma casa noturna da zona sul de São Paulo estão desaparecidos. A vítima, de 21 anos, foi atingida por um tiro nas costas e chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

A confusão aconteceu no fim da madrugada de quinta-feira, na boate Coração Sertanejo, na avenida Robert Kennedy.  Dois casais queriam levar uma garrafa de bebida e foram barrados pelos funcionários da casa, relata o cliente Ítalo Simas. “A gente saiu. Quando chegou lá fora, agrediram meu amigo com tapa na cara, soco”.

Segundo testemunhas, um funcionário do local ordenou que os vigias fizessem os disparos contra o grupo.

A jovem Aleide Souza também levou vários socos e só não morreu porque a arma do agressor falhou, informou o delegado José Gonçalves Júnior. “O fato não se concretizou porque a arma picotou. Os acontecimentos de lesão lá dentro [da boate] já foram certificados aqui na delegacia por outras vezes”.

Depois das agressões, o grupo correu para o carro de Ricardo, que estava esperando os amigos. Um segurança disparou nos pneus do veículo e depois deu mais um tiro, que atingiu as costas do motorista.

Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que o carro dirigido pela vítima chega a um posto de combustíveis. O motorista perdeu a consciência depois de dirigir baleado por 200 metros. O resgate chegou 10 minutos depois, mas o jovem morreu a caminho do hospital.

À Band, o gerente da casa disse que a confusão ocorreu do lado de fora e nenhum funcionário participou do crime.

 

A confusão aconteceu quando dois amigos da vítima queriam sair da casa noturna com uma garrafa de bebida que haviam comprado.

Uma jovem acabou sendo agredida por um dos funcionários. Foi aí que teve início uma discussão com os seguranças. A menina perdeu três dentes e levou oito pontos na boca. Não satisfeito, o segurança disse que a mataria e atirou.

Os jovens correram para o carro de rapaz que acabou morto. Ele estava no veículo esperando os amigos. Um segurança disparou nos pneus do veículo e, depois, deu mais um tiro que atingiu as costas do motorista.

Os jovens dizem que durante a confusão um promotor de eventos da casa noturna ordenou que os seguranças atirassem. Eles reconheceram os dois vigilantes por fotos, mas a polícia ainda não conseguiu encontrá-los.

Na casa noturna Coração Sertanejo ninguém quis falar. O delegado que investiga o homicídio diz que os problemas no local são frequentes e diz que casa pode deixar de funcionar.

Em 2011, a Band mostrou o caso de um rapaz que ficou internado após ser espancado por seguranças da casa noturna Coração Sertanejo.

Para a família e os amigos da vítima fica a revolta e a sensação de impunidade.

Loading...
Revisa el siguiente artículo