Jovem que matou namorada no DF será enquadrado como menor

Por Nadia

Um adolescente de 17 anos matou a ex-namorada, de 14, no Distrito Federal. O assassino planejou tudo: atraiu a vítima para uma emboscada e deu um tiro na cabeça da menina. O caso, porém, aconteceu poucas horas antes de ele atingir a maioridade penal. Para a família da garota, o criminoso agiu friamente, sabendo que seria beneficiado pela lei.

O adolescente foi preso em casa, duas horas antes de completar 18 anos. Ele confessou  à polícia que matou a ex-namorada de 14 anos porque estava com muita raiva dela.

O assassino marcou um encontro com jovem em um parque no distrito do Gama e matou a menina após uma discussão. Ele disse que estava preocupado porque a garota estaria se envolvendo com rivais dele. A mãe da menina diz ter certeza que o ex-namorado da filha premeditou o crime.

O jovem que já tinha três passagens pela polícia – por ameaça; tráfico de drogas e porte ilegal de armas – será encaminhado para um centro de recuperação de menores infratores, onde ficará no máximo três anos cumprindo medidas socioeducativas.

O destino do menor assassino poderia ser diferente se o Senado tivesse aprovado, em fevereiro, um o projeto que reduz de 18 para 16 anos a maioridade penal. Mas Comissão de Constituição e Justiça rejeitou a proposta, mesmo sem a votação no plenário.

O autor do projeto não perdeu a esperança. O senador Aloysio Nunes já conseguiu 22 assinaturas, 12 a mais do que o necessário, para levar a proposta ao plenário do Senado.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo