Funcionários da CPTM são indiciados por homicídio de passageira

Por george.ferreira

Dois funcionários da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) envolvidos na ação que resultou na morte da mulher que bateu a cabeça após ser impedida de entrar em vagão para gestantes, deficientes e idosos serão indiciados por homicídio.

Nivanilde da Silva Souza, de 28 anos, estava internada desde o dia 25 na Santa Casa de Misericórdia e morreu na madrugada de sexta-feira, dia 28. Segundo a polícia, Nivanilde tentou embarcar em um vagão preferencial alegando ser gestante, quando foi barrada por um funcionário da CPTM de 17 anos.

O funcionário tentou segurar a vigilante, mas ela o empurrou.  Seguranças da CPTM se posicionaram e alegaram que ela seria presa por agredir um menor.

Descontrolada a mulher se jogou nos trilhos do trem. Um funcionário da estação tentou impedir, mas o trem atingiu a região da cabeça da vítima. O funcionário de, 17 anos, foi autuado por lesão corporal grave e abuso de autoridade.

Ele responderá o inquérito em liberdade. Ambos serão indiciados por homicídio por dolo eventual. Imagens da câmera de controle operacional da CPTM confirmam que a vigilante se jogou nos trilhos. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Metropolitana (DELPOM).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo