Após plano de fuga, Marcola será transferido de presídio

Por Tercio Braga
Detentos pretendiam usar helicópteros para realizar fuga | Reprodução Detentos pretendiam usar helicópteros para realizar fuga | Reprodução

O líder da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), conhecido como “Marcola”, será transferido de cadeia. A decisão se deve ao vazamento de um plano cinematográfico para resgatar líderes da organização numa penitenciária de segurança máxima no interior de São Paulo. A estratégia dos bandidos envolvia até um helicóptero blindado, tudo financiado com o dinheiro do tráfico de drogas. (vote na enquete no fim do texto)

Leia mais
• MP e polícia descobrem plano de facção criminosa em SP
• Presos envolvidos em plano de fuga podem perder privilégios

Fotos exclusivas mostram um terreno na Grande São Paulo comprado pelo PCC, de acordo com a Polícia Civil. A intenção do grupo era construir uma pista clandestina para o transporte de uma grande remessa de droga vinda da Bolívia. A investigação aponta que a área foi comprada por R$ 20 milhões.

Dois integrantes da facção criminosa que estão por trás dessa operação são apontados como responsáveis pelas finanças do grupo na zona leste da capital paulista. O dinheiro do tráfico estava sendo usado para financiar um dos maiores planos de fuga já vistos em presídios de segurança máxima.

Com um helicóptero blindado os bandidos pretendiam tirar de dentro da penitenciária de Presidente Venscelau, no interior de São Paulo, o líder do PCC, Marcos Herbas Camacho – o Marcola – e outros três importantes integrantes do bando.

Por causa disso, homens do comando de operações especiais da PM foram deslocados para a região de ao redor do presídio.

A estratégia está sendo elaborada há pelo menos dois anos dentro e fora das cadeias paulistas, como mostram escutas telefônicas obtidas pela Band. Dois traficantes falam sobre os investimentos feitos no plano, que, segundo o Ministério Público, eles chamam de “Loja”.

A divulgação do plano de resgate frustrou uma grande operação policial que tinha como objetivo prender integrantes da facção. Segundo relatório de inteligência da polícia, três bandidos chegaram a fazer aulas de voo no Campo de Marte, em São Paulo.

O professor deles era Alexandre José de Oliveira Júnior, dono de uma escola de aviação. Júnior foi preso em novembro do ano passado no Espirito Santo com 450 quilos de cocaína no helicóptero do deputado estadual Gustavo Perrella. O objetivo dos alunos era levar os chefes do PCC pro Paraguai depois da fuga.

[poll id=”204″]


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo