Ator que foi preso por engano no Rio de Janeiro é solto

Por george.ferreira

O ator e vendedor de roupas, Vinícius Romão de Souza, de 27 anos, foi solto no Rio de Janeiro no início da tarde desta quarta-feira, após ficar 16 dias preso por engano. O jovem não quis falar com a imprensa ao sair da delegacia. (assista o vídeo no fim do texto)

Vinícius, que fez uma participação na novela “Lado a Lado”, da Rede Globo, esteve preso desde o último dia 10 sob a suspeita de ter assaltado uma copeira do Hospital Pasteur.

Ouça também:

Delegado diz que acusação de vítima motivou a prisão do ator

Pai de Vinícius acredita que ele teria sido morto se tivesse reagido à abordagem policial

A vítima contou que o assaltante era negro, vestia camiseta preta e tinha o cabelo no estilo black power. O ator, que estava próximo ao local, foi preso em flagrante, apesar de não ter sido encontrado nada com ele. Na bolsa roubada, havia R$ 10, um celular e um cartão Riocard.

Em declaração à Rádio Bandeirantes, o advogado responsável pelo registro da ocorrência, Niandro Ferreira Lima, afirmou que a ação policial se justifica pelas declarações dadas pela vítima. “Se a vítima aponta aquele homem como sendo o autor, você tem que dar um peso maior, até porque você não vai conseguir outros depoimentos testemunhais”.

Indignado com a abordagem da polícia ao filho, o tenente-coronel da reserva do Exército Jair Romão de Souza, disse acreditar que o filho teria sido morto se tivesse tido algum tipo de reação. “Se ele não fosse pacífico e tivesse corrido ou tido qualquer tipo de reação, ele teria sido assassinado”, disse à Rádio Bandeirantes.

Segundo o advogado de Vinícius, vídeos de segurança do hospital e de prédios vizinhos mostram que o verdadeiro ladrão, que também era negro, vestia apenas uma bermuda, enquanto o ator estava com uma calça e uma camisa pretas. Ele informou que já entrou com um pedido de liberdade provisória, que ainda não foi apreciado pela Justiça.

A Polícia Civil disse que solicitaria imagens de câmeras de seguranças para auxiliar nas investigações.

O caso ganhou repercussão nas redes sociais. Amigos e familiares do ator, ativistas e pessoas em geral associam a ocorrência a racismo.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo