Professor não participou de roubo a caixas em Itamonte

Por Tercio Braga
Banco destruído pelos assaltantes | Cristiano Novais/ Sigmapress/ Folhapress Banco destruído pelos assaltantes | Cristiano Novais/ Sigmapress/ Folhapress

A Polícia Civil de Minas Gerais descartou a participação do professor Silmar Madeira na quadrilha especializada em explosões a caixas eletrônicos que foi surpreendida em Itamonte, no Sul do Estado, no último sábado.

Leia mais
• Professor sem passagem pela polícia está entre mortos em MG
• Polícia mineira compara assaltantes de banco a ‘cangaceiros’
• Operação da polícia mata 9 bandidos em Minas Gerais

Silmar foi morto por policiais durante a troca de tiros que terminou com nove bandidos assassinados na praça principal da cidade. O professor foi feito refém quando saía da casa da namorada.

A Polícia Civil de São Paulo também participa das investigações e verifica se agentes da corporação faziam parte da quadrilha.

Veja também:

A polícia identificou os corpos dos nove suspeitos mortos durante operação no final de semana em Itamonte, no sul de Minas Gerais. Quatro eram de São Paulo, três de Mogi das Cruzes, um de Campinas e um de São José do Rio Preto. A décima vítima é um professor, que foi usado como escudo por um dos criminosos e acabou sendo baleado.

Reportagem de Lucas Martins


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo