Professor sem passagem pela polícia está entre mortos em MG

Por george.ferreira

A polícia de Itamonte, em Minas Gerais, investiga a morte do professor Silmar Madeira, de 31 anos, um dos nove mortos durante uma ação conjunta da polícia do estado com a de São Paulo, realizada no último sábado  para prender criminosos especializados em explodir caixas eletrônicos.

Leia Mais:

• Polícia encontra dois integrantes de quadrilha de MG

Segundo o depoimento de familiares e testemunhas, ele teria sido rendido pelos bandidos e acabou atingido por cinco disparos durante a troca de tiros entre policiais e criminosos. A vítima morava Itanhandu, cidade que fica na mesma região.

Adélia Madeira, mãe do professor, garantiu que o filho foi morto por engano, já nunca teve passagem pela polícia e ia à cidade para visitar a namorada. “Ele não estava com colete, não estava com capuz na cabeça, estava com a roupa normal que ia trabalhar”, justificou.

A delegada Camila Pacheco disse que o questionamento da família já está nos autos do inquérito e que o polícia está apurando a relação do professor com o caso. “Tudo o que é duvida a gente apura. É mais um fato a ser apurado”, afirmou.

Veja também:

A polícia identificou os corpos dos nove suspeitos mortos durante operação no final de semana em Itamonte, no sul de Minas Gerais. Quatro eram de São Paulo, três de Mogi das Cruzes, um de Campinas e um de São José do Rio Preto. A décima vítima é um professor, que foi usado como escudo por um dos criminosos e acabou sendo baleado.

Reportagem de Lucas Martins

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo