Prefeitura de São Paulo coloca blocos antimendigo em canteiros

Por Tercio Braga
Paralelepípedos impedem que moradores de rua se instalem junto às pilastras | André Porto/Metro Paralelepípedos impedem que moradores de rua se instalem junto às pilastras | André Porto/Metro

A prefeitura instalou 45 canteiros de paralelepípedos na avenida Cruzeiro do Sul, na zona norte, junto às pilastras do viaduto da linha 1-Azul do metrô. Os blocos foram instalados entre as rua Coronel Antônio de Carvalho e a avenida General Ataliba Leonel.

O local é conhecido por abrigar moradores de rua, que usavam as pilastras para construir suas barracas, após a prefeitura retirar as grades que cercavam a área.

Nesta quinta-feira, moradores de rua que vivem no entorno afirmaram à reportagem do Metro Jornal que foram retirados do local por guardas municipais no final de semana.

Segundo eles, os blocos impedem que eles se abriguem da chuva e do sol, mas que permanecerão lá.

A prefeitura nega que o objetivo da ação seja evitar que os moradores de rua se instalem no local e deu três explicações para a colocação dos blocos.  Em nota, a subprefeitura Tucuruvi/Santana afirma que apenas um trecho de 30 metros, localizado em frente à estação Carandiru, recebeu os paralelepípedos para evitar que os pedestres atravessem fora da faixa e para proteger grafites que foram pintados nas pilastras. Os desenhos fazem parte do Museu Aberto de Arte Urbana.

A intervenção faz parte da revitalização do canteiro central, que contará com passeio para pedestres e ciclovia, além de reforço de iluminação e novo paisagismo com plantio de grama. A obra completa está orçada em R$ 1,02 milhão, e tem previsão de término para o próximo mês.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo