Justiça aceita denúncia contra suspeitos da morte de Santiago

Por Tercio Braga
Fabio Raposo e Caio de Souza | Reprodução e Daniel Marenco/Folhapress Fabio Raposo e Caio de Souza | Reprodução e Daniel Marenco/Folhapress

A Justiça aceitou a denúncia que o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) ofereceu na segunda-feira contra os acusados pela morte do cinegrafista da Band Santiago Andrade, atingido por um rojão durante um protesto no centro do Rio. Além disso, os dois tiveram a prisão temporária convertida em preventiva – devendo ficar detidos até a data do julgamento.

Caio Silva de Souza e Fábio Raposo vão responder por homicídio doloso – quando há intenção de matar. Se considerados culpados, os dois podem ser condenados a 35 anos de prisão. Os dois estão presos no Complexo de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio.

No domingo, o arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta, celebrou, na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro a missa de sétimo dia pelo cinegrafista. Os parentes de Santiago e a mulher dele, Arlita Andrade, acompanharam a missa. No velório do cinegrafista na quinta-feira (13), dom Orani celebrou a missa de corpo presente no Memorial do Carmo, onde houve a cremação em cerimônia restrita à família e amigos próximos.

Veja o editorial do Grupo Bandeirantes sobre a morte de Santiago:

  


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo