Denúncia contra máfia do ISS não incluirá políticos e construtoras

Por fabiosaraiva
Luis Alexandre é um dos fiscais acusados de desviar mais de R$ 500 milhões dos cofres municipais | Adrianno Vizoni/Folhapress Luis Alexandre é um dos fiscais acusados de desviar mais de R$ 500 milhões dos cofres municipais | Adrianno Vizoni/Folhapress

A primeira denúncia criminal contra a máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços) não terá políticos e responsáveis pelas construtoras envolvidos no esquema de corrupção. Segundo o MPE (Ministério Público Estadual), o objetivo da medida é trabalhar, primeiramente, pela condenação dos seis fiscais suspeitos de ter relação com a ocorrência.

Se condenados, os fiscais responderam por formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o que pode deixar suas penas em 26 anos de prisão.

Em janeiro, o MPE previa que a investigação seria concluída em até cinco meses. Na ocasião, o promotor responsável pelo caso, Roberto Bodini, afirmou que havia começado a redigir a denúncia na semana passada e deve apresentá-la à Justiça até junho.

Segundo Bodini, a finalização do processo beneficia a descoberta de outros esquemas de corrupção, como o da Controlar. No entanto, o esquema que liga a empresa ambiental ao ex-prefeito Gilberto Kassab deve ser investigado em um processo paralelo. O promotor revela que já tem elementos suficientes para concluir a acusação.

De acordo com o promotor, a denúncia não trará grandes novidades quando aos nomes acusados de envolvimento no esquema. Segundo a investigação, o grupo fraudava o recolhimento do Imposto sobre Serviços, que é calculado sobre o custo total da obra.

O pagamento é condição para que o empreendedor imobiliário obtenha o “Habite-se”. O foco do desvio na arrecadação de tributos eram prédios residenciais e comerciais de alto padrão, com custo de construção superior a R$ 50 milhões.

Toda a operação, segundo o Ministério Público, era comandada por servidores ligados à subsecretaria da Receita, da Secretaria de Finanças. Descoberta em outubro, a máfia do ISS causou um rombo de pelo menos 500 milhões de reais aos cofres da Prefeitura de São Paulo. Pelo menos cinco empresas admitiram envolvimento com os fiscais.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo