Dom Orani pede paz em missa por Santiago Andrade

Por fabiosaraiva
Dom Orani e Arlita Andrade, viúva do cinegrafista | Reprodução/Band Dom Orani e Arlita Andrade, viúva do cinegrafista | Reprodução/Band

“Precisamos saber votar e encontrar caminhos para exigir direitos sem que outra pessoa perca a vida por isso. A violência só causa mais problemas”, destacou o Arcebispo do Rio de Janeiro e futuro cardeal Dom Orani Tempesta, neste domingo à tarde, antes de dar início à missa de sétimo dia em memória ao repórter cinematográfico Santiago Idílio Andrade, da TV Bandeirantes, na Catedral Metropolitana, no centro.

A cerimônia emocionou amigos e familiares de Santiago, que morreu após ser atingido por um rojão na cabeça, durante um protesto no último dia 2, na Central do Brasil. “Precisamos fazer o bem, mesmo quando protestamos, fazê-lo com civilidade e serenidade, sem violência. Nós podemos discordar, e muitas vezes temos mesmo que discordar, mas respeitando o outro”, disse Dom Orani.

Suspeitos da morte do cinegrafista, Caio Silva de Souza e Fábio Raposo foram indiciados por homicídio com dolo eventual “porque assumiram o risco de matar”, segundo o relatório da polícia.

 

Vandalismo reprovado

A maioria dos cariocas apoia as manifestações nas ruas, mas reprova os ativistas que cometem atos de vandalismo ou usam máscaras, aponta pesquisa realizada pelo Datafolha.

Divulgado ontem, o levantamento aponta que os  protestos têm aval de 56% dos moradores do Rio. Outros 40 % são contrários e 4% são indiferentes ou não responderam.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo