Chuva volta a São Paulo com festa e problemas

Por fabiosaraiva
Queda de árvore em rua de Moema | Adriano Lima / Brazil Photo Press/Folhapress Queda de árvore em rua de Moema | Adriano Lima / Brazil Photo Press/Folhapress

Demorou mas ela chegou. Depois de 20 dias de seca, recordes de calor, reservatórios de água em estado crítico e baixa umidade do ar, finalmente voltou a chover na capital.

Nesta quinta-feira, após os termômetros registrarem máxima de 33,7ºC, foram registrados 5,3 milímetros de água, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergência). Apesar do alívio, a chuva também causou transtornos.

E a previsão para os próximos dias é de mais chuva, o que deve fazer o nível dos reservatórios parar de cair. Ontem, o volume do sistema Cantareira estava em 19% de sua capacidade  Hoje, deve chover forte em todas as regiões. Os termômetros variam entre 24ºC e 29ºC. Amanhã chove novamente e a temperatura continua caindo: mínima de 19ºC e máxima de 25ºC.

Mas segundo o meteorologista Thomaz Garcia, do CGE, as chuvas do próximos dias não devem fazer subir significativamente o nível dos reservatórios, que precisam de 1 mil milímetros de chuva para voltarem a 50% da capacidade de armazenamento.

“A média para os 90 dias do verão, que é uma estação chuvosa, é de 620 milímetros. Os reservatórios precisam de quase o dobro dessa chuva em um período muito curto. Seria um desastre”.

Mas isso não deve acontecer. Segundo a meteorologia, até o final de março o volume de chuvas não deve passar dos 100 milímetros.

E cidade deve voltar a enfrentar um longo período sem chuvas a partir de abril. “O outono e o inverno são estações secas”, diz Garcia.

 

Córrego transborda no Ipiranga

O temporal desta quinta-feira, que começou por volta das 16h, causou o transbordamento do córrego do Ipiranga. A região foi colocada em estado de alerta pelo CGE. Houve alagamentos na avenida  Abraão de Moraes,

O temporal também interrompeu a circulação dos trens da linha 10-Turquesa, da CPTM, entre as estações São Caetano e Presidente Altino, das 17h30 e 18h.  As operações do aeroporto de Congonhas, na zona sul, também foram suspensas por dez minutos.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) registrou nove quedas de árvores. Uma delas atingiu um carro em Moema, na zona sul.

 

Paulistanos celebram a volta da chuva:

“Na verdade, eu espero que chova de verdade, porque  a que caiu não deu para me resfriar o quanto eu queria”, Bruna Resta, técnica de segurança “Na verdade, eu espero que chova de verdade, porque
a que caiu não deu para me resfriar o quanto eu queria”,
Bruna Resta, técnica de segurança
“Eu amo a chuva. Agora, com esse calor todo,  eu gosto mais da chuva do que de mim mesma”, Ângela Gomes, aposentada “Eu amo a chuva. Agora, com esse calor todo,
eu gosto mais da chuva do que de mim mesma”, Ângela Gomes, aposentada
“Estou comemorando a chuva mentalmente. Não gosto do calor e a chuva vai conseguir amenizar a temperatura”, Lucas Bastos, auxiliar administrativo “Estou comemorando a chuva mentalmente. Não gosto do calor e a chuva vai conseguir amenizar a temperatura”, Lucas Bastos, auxiliar administrativo

20140214_SP04_efeito-da-estiagem


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo