Tatuador diz saber nome de homem que disparou rojão no RJ

Por george.ferreira
Fabio Raposo foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado e crime de explosão. / Reprodução/Band Fabio Raposo foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado e crime de explosão. / Reprodução/Band

O tatuador preso por envolvimento na ação com o rojão que atingiu o repórter cinematográfico da Band Santiago Andrade disse já ter visto o responsável por disparar o artefato em outros atos. Ele também prometeu ajudar a fazer o retrato falado do suspeito.

Durante depoimento neste domingo, dia 9, ao delegado Maurício Luciano, titular da Delegacia de São Cristóvão, o tatuador afirmou que está recebendo ameaças para assumir o crime sozinho. Ele também disse que não é amigo e não sabe o nome do outro manifestante.

O advogado do jovem disse que vai pedir a revogação da prisão temporária do tatuador, que foi preso na casa da mãe, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, neste domingo.

Em seu primeiro depoimento, o tatuador admitiu ter entregado o rojão ao criminoso, mas afirmou não conhecer o autor do disparo. A polícia contestou a versão, pois em uma das imagens é possível ver os dois caminhando juntos.

Pena pode ser acrescida

De acordo com a polícia, foram encontradas pichações no prédio do tatuador com a mensagem “Black Bloc” e palavrões em inglês contra a polícia. Segundo um vizinho, ouvido pelos investigadores, as inscrições são de autoria do jovem. Se comprovada a ligação ao grupo, ele poderá ter a pena acrescida.

O tatuador, que já foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado e crime de explosão, tem duas passagens pela polícia por outros crimes praticados durante manifestações – uma por dano ao patrimonio público e associação criminosa e outra por ameaça.

O repórter cinematográfico Santiago Andrade permanece internado em estado grave no Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio de Janeiro.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo