Desde junho, 117 jornalistas foram vítimas de violência em protestos

Por Tercio Braga

video 117 jornalistas vitimas violencia reproducao620Desde o início dos protestos, em junho no ano passado, 117 jornalistas já foram vítimas da violência em manifestações. Na tarde deste domingo, ativistas chegaram a discutir com um cinegrafista da Band depois de fazerem ofensas e ameaças à equipe de reportagem. Na última quinta-feira, o cinegrafista Santiago Andrade foi atingido por um rojão durante um protesto no centro do Rio de Janeiro. Na ocasião, um jovem acende o artefato e corre sem saber onde ele pode parar.

Leia também
• Nota oficial da Band sobre a morte de Santiago Andrade
• Filha de cinegrafista da Band divulga carta após morte

O rojão causou, nesta segunda-feira, a morte cerebral do profissional. Porém, antes de Santiago ser atingido, outros 116 jornalistas já haviam sido vítimas de atos de violência durante a cobertura das manifestações. E desde meados de junho do ano passado, os jornalistas têm sido vítimas cada vez mais frequentes da ação terrorista dos mascarados.

Eles queimaram carros de reportagem, agrediram e intimidaram cinegrafistas, sabotaram entradas ao vivo jogando vinagre nos olhos da repórter e, muitas vezes, cercaram e ameaçaram repórteres e cinegrafistas.

Na noite deste domingo, black blocs voltaram à porta da delegacia para se solidarizar com um dos envolvidos no caso. Aproveitaram para reiterar as ameaças contra os repórteres, que eles costumam chamar de ‘sabujos da mídia corporativa’. E acabaram se envolvendo em mais confusão. Desta vez, tentaram envolver o nome do parlamentar Marcelo Freixo, do PSOL, que costuma dar apoio às causas defendidas por manifestantes.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo