Prefeito acusado de pedofilia é preso no Amazonas

Por fabiosaraiva
O prefeito de Coari, Adail Pinheiro, acusado de chefiar uma rede de pedofilia, ao ser preso em setembro de 2009 | Alberto César Araújo/Folhapress O prefeito de Coari, Adail Pinheiro, acusado de chefiar uma rede de pedofilia, ao ser preso em setembro de 2009 | Alberto César Araújo/Folhapress

O prefeito de Coari, no Amazonas, foi preso nesta tarde. Manoel Adail Pinheiro (PRP) é suspeito de organizar uma quadrilha de exploração sexual de menores.

A polícia também deteve neste sábado outros cinco funcionários da prefeitura. Os mandados de prisão foram cumpridos no município, que é distante 363 quilômetros da capital do estado, Manaus.

Entre os detidos estão o secretário de Terras e Habitação, Francisco Orimar Torres de Oliveira; e o chefe de gabinete da prefeitura, Eduardo Jorge de Oliveira Alves.

Também estão no grupo Anselmo do Nascimento Santos, que seria motorista do prefeito; o assessor particular Elias do Nascimento Santos; e a funcionária da Secretaria de Cultura do município, Alzenir Maia Cordeiro. De avião, os presos foram levados para a sede da Delegacia Geral de Polícia Civil, em Manaus.

 

 

Acusação

Uma denúncia do MP-AM (Ministério Público do Amazonas) acusa Adail Pinheiro pelos crimes de exploração sexual de crianças e adolescentes. Ele também é suspeito de estupro de vulnerável e formação de quadrilha.

Para formalizar a denúncia, a Procuradoria-Geral de Justiça do MP tomou como base a investigação feita pelo Caocrimo (Centro de Apoio e Combate ao Crime Organizado), que ouviu, em Manaus e em Coari, garotas que relatam terem sido vítimas de exploração sexual praticadas pelo prefeito. Adail Pinheiro nega as acusações e diz que é vítima de perseguição política patrocinada por adversários.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo