Partidos aliados querem mais espaço no governo Haddad

Por fabiosaraiva
A nova lei tem que ser regulamentada pelo prefeito em um prazo de 90 dias | Antonio Cruz / ABr Haddad, que deve concluir a reforma dos secretários até o Carnaval | Antonio Cruz/ABr

Prevista para ser concluída até o Carnaval, a reforma de secretariado do prefeito Fernando Haddad (PT) tem colocado partidos aliados na Câmara Municipal em rota de colisão.

A Secretaria das Subprefeituras, cujo orçamento em 2014 será R$ 571 milhões, é alvo de disputa entre PV e o PCdoB.

Os verdes querem o atual secretário do Meio Ambiente, Ricardo Teixeira, na vaga.  Já o PCdoB cobra a escolha da vice-prefeita Nádia Campeão.

A legenda  lembra que, com a saída de Netinho de Paula da Pasta da Igualdade Racial para disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados, o prefeito terá a chance de oferecer uma secretaria com maior peso político para os comunistas.

Haddad sinalizou que deve optar por Teixeira. Ele pretende convencê-lo a desistir de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa e assumir a Subprefeitura.

O Executivo também quer evitar a ida do PV para um bloco de centro na Câmara. A volta do grupo, conhecido como “centrão”, é articulada pelos vereadores Roberto Tripoli (PV) e Milton Leite (DEM).

O governo tem pouco mais de duas semanas para definir ainda quem irá ocupar as secretarias do Trabalho, Esportes e do Verde.

O PSD cobra uma das secretarias como um sinal de reconhecimento pelo apoio durante o ano passado. A legenda do ex-prefeito Gilberto Kassab ressalta que o PT terá que angariar todos os votos possíveis para aprovar o Plano Diretor.

Na secretaria do Trabalho, o PSB não deve indicar um substituto para o lugar de Eliseu Gabriel, que disputará uma cadeira de deputado estadual. Com três vereadores, o Pros, criado no ano passado já como parte da base aliada, pleiteia a vaga, também desejada pelo PMDB e pelo PP.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo