Programa "Braços Abertos" pode ser expandido, diz Haddad

Por george.ferreira

A prefeitura de São Paulo pretende encerrar, ainda no primeiro trimestre deste ano, a primeira fase do programa “Braços Abertos”, na Cracolândia. Após esse período, a administração municipal vai avaliar possibilidade de levar o projeto para outras regiões, segundo o prefeito paulistano, Fernando Haddad. A ação é uma nova tentativa de combater o uso de drogas na região central da cidade.

O prefeito fez um balanço positivo dos primeiros 10 dias de ação, mas afirma que ajustes diários são feitos para garantir o sucesso. Já são 386 beneficiários que recebem da prefeitura o encaminhamento para um dos hotéis do centro da cidade e três refeições diárias.

Os dependentes químicos também são organizados em frentes de trabalho onde recebem R$ 15 por dia. Mais da metade dos integrantes são homens e 77% têm idade entre 18 e 45 anos.

A secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Luciana Temer, afirma que a prefeitura tem sido procurada por pessoas com perfil fora do programa querendo adesão. Segundo Luciana, o “Braços Abertos” acabou trazendo um efeito “colateral” para a pasta.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, até agora, foram feitos mais de mil atendimentos. No período, 25 pessoas foram presas, com 22 flagrantes de tráfico e mais de mil pedras de crack.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo