Sabesp pede economia de água, mas descarta racionamento em SP

Por Tercio Braga

falta dagua reproducao620Uma série de fatores climáticos fez com que o principal sistema de abastecimento da Grande São Paulo registrasse o menor nível dos últimos dez anos. Segundo a assessoria de imprensa da Sabesp, há a orientação para que a população economize água, mas a hipótese de racionamento foi descartada por enquanto.

Nesta terça-feira, o Sistema Cantareira registrou 22,9% de sua capacidade. Na mesma data de 2011, o nível era de 94,3%; em 2012 era de 74,8% e em 2013, 52,3%. A falta de chuvas afeta principalmente o Cantareira, mas ocorre também nos outros sistemas que estocam água para a Grande São Paulo.

As causas para essa situação preocupante são as seguintes:

– O ano de 2013 registrou apenas 1.090 milímetros de chuva nas quatro represas que formam o Sistema Cantareira. A média histórica anual é de 1.566 milímetros. Ou seja, não choveu nem 70% do esperado. Em nove dos 12 meses a precipitação foi inferior ao que deveria;

– O mês de dezembro de 2013 foi especialmente ruim: teve 62 milímetros de chuva, quando a média histórica é de 226 milímetros. Foi o pior mês de dezembro desde que a medição começou a ser feita, há 84 anos;

– Janeiro de 2014 segue o mesmo caminho. Normalmente as chuvas chegam a 300 milímetros, mas o índice estava em 81 milímetros no dia 22;

– O período chuvoso, que enche as represas, vai de outubro a março; mas de outubro de 2013 para cá, a chuva tem ficado 50% abaixo do esperado, e as previsões de que os temporais chegariam não têm se confirmado;

– As temperaturas estão 5% acima da média histórica em janeiro e, como não chove (o que ajudaria a baixar a temperatura), o consumo de água acaba se mantendo em nível elevado o dia todo.

Este é o terceiro verão consecutivo com chuvas menores do que o esperado. O período chuvoso, que vai de outubro a março, serve para alimentar as represas. Durante a estiagem (de abril a setembro), a água estocada no verão é utilizada para abastecer a população. É como se fosse uma caixa-d’água residencial, só que em proporções enormes: as quatro represas do Sistema Cantareira podem armazenar quase 1 trilhão de litros de água.

Outro fator importante é que não adianta chover forte na cidade de São Paulo, pois não há como represar essa água para aproveitá-la depois para abastecimento.

Diante desse cenário crítico, é essencial que cada morador colabore. A Sabesp pede que a população evite o desperdício.

Confira algumas dicas:

– Tome banhos mais curtos e feche o registro enquanto passa o sabonete e o xampu;

– Não lave a calçada com mangueira. Use a vassoura para limpar o local;

– Não lave o carro com a mangueira, use um balde;

– Antes de lavar a louça, retire e excesso de comida com a esponja, sem usar água. Deixe a torneira fechada ao ensaboar;

– Acumule as roupas para utilizar a máquina de lavar na capacidade máxima. Faça o mesmo com a louça;

– Deixe a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo