Delegado conversa com motorista de caminhão no Rio

Por Caio Cuccino Teixeira
Passarela caiu em veículos que passavam pela via / BandNews FM Passarela caiu em veículos que passavam pela via / BandNews FM

O delegado Fábio Asty, responsável pela investigação do acidente ocorrido na Linha Amarela nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, informou que o motorista do caminhão não poderá depor na delegacia nesta terça-feira, mas teve uma conversa informal com o homem. Asty negou à imprensa a informação de que a placa do caminhão estaria adulterada ou com alguma letra apagada e disse que a placa estava, na verdade, em situação regular.

Veja também
Vídeo – Passarela desaba após colisão de carreta e mata 4 no Rio
Concessionária confirma que caminhão causou queda de passarela
Prefeito Eduardo Paes diz que prefere se ater às vítimas

Policiais foram ao Hospital Lourenço Jorge, onde Luis Fernando Costa está internado, para conduzi-lo à 44ª DP. Entretanto, os médicos não liberaram sua saída, alegando que seu estado de saúde exige que ele continue internado.

Segundo o delegado, não há previsão para data em que o depoimento formal poderá ocorrer, já que isso depende da liberação do hospital. Pela manhã, porém, Fábio conversou informalmente com o motorista, que garantiu não saber que a caçamba estava levantada, o que, segundo Luis Fernando, deve ter ocorrido por alguma falha mecânica.

Por fim, o delegado negou a informação de que a placa do caminhão estaria adulterada ou com alguma letra apagada. A placa estava em situação regular.

Acidente aconteceu por volta das 9h15:

Acidente

Uma carreta com excesso de altura derrubou uma passarela na Linha Amarela, uma das principais vias expressas do Rio, que liga o centro à Barra da Tijuca. A passagem de pedestres – na altura da saída 4, em Pilares – tem limite de 4,5 metros de altura para a passagem de veículos e caiu por inteiro por volta das 9h15 desta terça-feira. Testemunhas dizem que a caçamba estaria levantada.

A circulação de caminhões na Linha Amarela é proibida neste horário – das 6h às 10h. Os dois sentidos da via estão interditados.

O Corpo de Bombeiros confirma quatro mortes. A identidade de duas pessoas já foram divulgadas: uma mulher de 64 anos e um homem de 19.

Outras quatro pessoas foram socorridas com vida. Os feridos foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e o Hospital de Bonsucesso, que cancelou todas as suas cirurgias eletivas para atender os feridos em seus dois centros cirúrgicos. No total, seis pessoas ficaram feridas.

Um táxi foi completamente esmagado pela passarela. Um carro de passeio também foi atingido pela queda da estrutura.

A polícia está no local para realizar investigações sobre o acidente. Procurada, a empresa Arco da Aliança diz que só vai se pronunciar por meio de seus advogados.

Após o acidente, o veículo parou a cerca de 200 metros da passarela. Segundo testemunhas ouvidas pela BandNews FM, o motorista do caminhão estaria com ferimentos leves.

Passarela caiu em veículos que passavam pela via / Erbs Jr. / Folhapress Passarela caiu em veículos que passavam pela via / Erbs Jr. / Folhapress

Relato

Em conversa com Ricardo Boechat, o ouvinte da BandNews FM Ricardo Araújo relatou a tentativa de resgate de uma mulher em um carro. “A estrutura de ferro ainda está na perna dela. A parte de cima já está totalmente fora, mas a estrutura de ferro ainda está em cima dela. Graças a Deus, ela está lúcida. É uma senhora de cerca de 50, 55 anos. O homem [no banco ao lado] eu não consigo nem olhar”. A mulher foi removida do veículo de passeio por volta das 10h30 e recebe atendimento de paramédicos. Às 10h40, ela foi encaminhada para um hospital pelo helicóptero dos bombeiros.

Segundo o ouvinte Saulo, uma retroescavadeira trabalha para tentar levantar a passarela e retirar o táxi, que foi completamente esmagado. Bombeiros também usam maçaricos para tentar cortar a passarela e retirá-la do local.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo