Corregedoria investiga PMs que balearam manifestante em SP

Por fabiosaraiva
Parte das pessoas detidas durante protesto contra a Copa do Mundo | Mister Shadow/ASI/Sigmapress/Folhapress Parte das pessoas detidas durante protesto contra a Copa do Mundo | Mister Shadow/ASI/Sigmapress/Folhapress

A Secretaria da Segurança Pública informou que a Corregedoria da Polícia Militar (PM) investigará os três policiais que fizeram parte da abordagem que terminou com um manifestante baleado, na noite deste sábado, dia 25, em São Paulo. A vítima foi atingida por dois tiros de PMs e está internada em estado grave.

Leia também: 

Protesto contra Copa em SP tem destruição e 130 detidos

Segundo a secretaria, Fabrício Proteus Nunes Fonseca Mendonça Chaves fazia parte do grupo “black bloc” e resistiu à abordagem. “Próximo a um posto de gasolina, o homem sacou um estilete que estava no bolso da calça e se voltou contra um dos PMs. Neste momento, os policiais atiraram e o suspeito caiu no chão”, diz a nota divulgada neste domingo.

Fabrício foi socorrido pelos próprios policiais e levado à Santa Casa, na região central. O jovem deu entrada na noite de sábado e se encontra na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave. Ele foi baleado com um tiro no tórax e outro na genitália. Durante a madrugada, passou por cirurgia, mas o ferimento na pélvis levou à perda de um dos testículos.

O outro rapaz tentou fugir, mas foi capturado e levado para o 4º Distrito Policial (DP), no bairro da Consolação. O delegado requisitou exame pericial para o local e para os objetos apreendidos e exame residuográfico para os policiais militares. A PM informou que a ocorrência foi registrada como resistência, lesão corporal e desobediência. O caso está sendo investigado pela Corregedoria da PM e pela Polícia Civil.

O procedimento adotado pelos policiais, ao socorrer o jovem, contraria uma resolução da Secretaria de Segurança, de janeiro de 2013, que orienta a não remoção de pessoas feridas em confronto. Segundo a norma, o transporte deve ser feito preferencialmente pelo serviço médico de emergência. A medida visa a impedir a descaracterização da cena da ocorrência. O órgão destaca, no entanto, que a remoção pode ser feita caso não haja serviço de emergência disponível ou a espera seja muito longa.

Durante protesto, 135 foram detidos

O protesto contra os gastos públicos na Copa do Mundo de Futebol reuniu cerca de 2,5 mil pessoas. A passeata partiu da Avenida Paulista por volta das 17h e no início da noite chegou ao centro da cidade, onde houve confronto entre policiais e manifestantes. Na tarde deste domingo, dia 26, a secretaria atualizou o número de detidos para 135. Doze eram adolescentes. Todos foram liberados durante a madrugada após prestar depoimento.

Os detidos respondem por dano, localização e apreensão de objetos irregulares, lesão corporal, resistência, porte de arma e de droga, dano qualificado e furto. A manifestação, marcada para o dia da festa dos 460 anos da cidade, foi a primeira do ano da Copa do Mundo no Brasil.

Veja mais imagens dos protestos: 

 

Homem ajuda mãe e filha a escaparem de carro em chamas durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Homem ajuda mãe e filha a escaparem de carro em chamas durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Mãe e filha escapam de carro em chamas durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Mãe e filha escapam de carro em chamas durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Fusca em chamas durante protesto de manifestantes contrários à realização da Copa no Brasil. Protesto ocorreu em São Paulo | Nacho Doce/Reuters Fusca em chamas durante protesto de manifestantes contrários à realização da Copa no Brasil. Protesto ocorreu em São Paulo | Nacho Doce/Reuters
Manifestante durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestante durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes mascarados destróem agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes mascarados destróem agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes atacam carro da Guarda Civil Metropolitana durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes atacam carro da Guarda Civil Metropolitana durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestante mascarado destrói agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestante mascarado destrói agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes mascarados destróem agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes mascarados destróem agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes mascarados destróem agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes mascarados destróem agência bancária durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes atacam carro da Guarda Civil Metropolitana durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes atacam carro da Guarda Civil Metropolitana durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Policiais militares protegem sede da CET durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Policiais militares protegem sede da CET durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Manifestantes correm em meio a mesas de bar durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters Manifestantes correm em meio a mesas de bar durante protesto contra a Copa no Brasil | Nacho Doce/Reuters
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo