Sem-teto protestam e Alckmin promete mapear área ocupada

Por Tercio Braga
Cerca de 8 mil manifestantes travaram vias importantes da zona sul | Mário Ângelo/ Sigmapress/ Folhapress Cerca de 8 mil manifestantes travaram vias importantes da zona sul | Mário Ângelo/ Sigmapress/ Folhapress

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou nesta quarta-feira que o Estado vai bancar a realização de serviços de topografia e plano altimétrico da ocupação Nova Palestina, na zona sul, após se reunir com representantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).  A medida é necessária para mapear a área ocupada, o que permitirá traçar um plano para a construção de moradias populares no local.

Com aproximadamente 8 mil pessoas, segundo a PM, o MTST realizou uma manifestação por mais de seis horas ontem, na zona sul. O ato só terminou quando o governador, o secretário de Habitação, Silvio Torres, e o presidente da CDHU, Milton Dallari, receberam 10 representantes do grupo.

A concentração teve início às 7h30 em dois pontos: terminal João Dias e largo do Taboão. Por volta das 9h50, cerca de 2 mil pessoas ligadas as ocupações da Nova Palestina e Capadócia seguiram em direção ao estádio do Morumbi, pela avenida Giovanni Gronchi. Com medo, lojistas fecharam as portas. Ao mesmo tempo, moradores da ocupação Faixa de Gaza bloquearam pistas da Francisco Morato e seguiram no sentido centro.

Por volta das 11h, os manifestantes se encontraram em um local conhecido como “ladeirão do Morumbi”, na avenida Giovanni Gronchi, e seguiram para o estádio do Morumbi, onde permaneceram até o governador Geraldo Alckmin aceitar falar com o grupo.

Os representantes do MTST também pediram na reunião o fornecimento de água para as ocupações e a extensão do metrô até a região do Jardim Ângela, na zona sul da capital.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo