Pneus vazios podem ter ajudado vítimas de atropelamento em Goiás

Por Tercio Braga
Imagens foram registradas por circuito de segurança / Reprodução/Band Imagens foram registradas por circuito de segurança / Reprodução/Band

O acidente impressionante em que avó e neto sobreviveram, em Goiás, pode não ter sido trágico porque os pneus do carro que atropelou as duas vítimas estavam vazios. Segundo o físico Pierluigi Piazzi, por isso, os danos do acidente foram mínimos para João Pedro.

Veja também
‘Vi a imagem e cheguei a chorar’, diz pai

“O que causa destruição quando uma coisa passa por cima de você não é a força, em si, mas a pressão que essa força exerce. Pressão é determinada pelo peso ou força dividido pela área”, afirma.

Ele explica que “se o pneu não estiver muito cheio, aquele um quarto do peso do carro se distribui por uma área de muitos centímetros quadrados. O que faz com que o poder de penetração daquilo seja bem menor”.

Veja as imagens do acidente:

O caso

Uma avó e um neto sobreviveram milagrosamente a um duplo atropelamento em Goiás. Apesar da gravidade do acidente, ambos escaparam com ferimentos leves. O flagrante foi registrado por câmeras de segurança.

As vítimas caminhavam pela calçada quando foram surpreendidas. Um carro branco, que estava parado, atropela a mulher e a criança após ser atingido por outro veiculo dirigido por um homem que alegou ter perdido o controle da direção após uma colisão anterior.

As rodas do automóvel passam duas vezes por cima do menino, inclusive, na segunda vez, sobre a cabeça. A idosa também tem os pés e as pernas esmagados. Mesmo assim, sofreu apenas ferimentos leves. Já o neto, inexplicavelmente, consegue levantar-se ileso e caminhar sem aparentar dificuldade. Os dois foram socorridos e passam bem.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo