Polícia civil de São Paulo sofre com falta de combustível

Por Caio Cuccino Teixeira
Aumento foi registrado mesmo com queda no número de inquéritos abertos | Mario Angelo/Sigmapress/Folhapress Alguns policiais tiveram que pagar do próprio bolso para rodar com viatura | Mario Angelo/Sigmapress/Folhapress

Policiais civis em São Paulo não podem fazer investigações porque simplesmente falta combustível para os carros. Alguns agentes chegam a por dinheiro do próprio bolso na hora de atender uma ocorrência.

A reportagem do Jornal da Band visitou uma garagem oficial da Polícia Civil de São Paulo na zona leste. No local, as viaturas param para abastecer antes de seguir para as investigações, mas as bombas estão vazias.

A folha de abastecimento mostra que o posto não tem recebido viaturas. Com isso, parte da Polícia Civil fica parada.

Em outra garagem que abastece viaturas da cidade e do interior, a bomba de gasolina está vazia há dias. O álcool continua disponível, mas como nem todos os carros são flex, muitas viaturas ficam paradas nos pátios.

Há policiais que já tiveram que pagar do próprio bolso para rodar com uma viatura e atender a uma ocorrência.

Questionada pela reportagem do Jornal da Band, a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo nega a falta de combustível e alega que está mudando o sistema de abastecimento que passará a ser feito com cartões corporativos em postos conveniados.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo