Apesar de faixas de ônibus, motoristas não deixam carros

Por Tercio Braga

Os 291,4 km de faixas exclusivas de ônibus criadas pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) não tem convencido os motoristas a deixarem seus carros em casa e optarem pelo transporte público.

Balanço da SPTrans, empresa que gerencia o sistema de transporte municipal, mostra que a quantidade de viagens feitas por passageiros nos coletivos ficou praticamente estável no ano passado, na comparação com 2012. Segundo o levantamento, foram 2,92 bilhões de embarques feitos em 2013, ante 2,91 bilhões do ano anterior – aumento de 0,21%.

De acordo com o diretor de gestão econômica e financeira da SPTrans, Adauto Farias, o número só não fechou em queda porque houve um aumento de passageiros transportados no final do ano. “Em dezembro tivemos um crescimento de 3,29%, na média diária de passageiros, na comparação com o mesmo mês de 2012”, afirma.

Para Farias, os paulistanos ainda estão digerindo a ideia de trocar o carro pelo transporte público.

“Estamos tendo bons resultados na performance dos ônibus após a implantação das faixas de ônibus e logo teremos uma migração expressiva. No final do ano passado divulgados levantamento que apontou um ganho de 38 minutos nas viagens de ônibus diárias dos paulistanos, após a expansão das vias exclusiva”.

A cidade tem atualmente 413,4 km de faixas para ônibus,  à direita, A gestão Kassab já havia entregue 122 km de faixas desse tipo. A multa para o motorista que trafega na faixa é de R$ 53,20. No último ano, as autuações por esse tipo de infração subiram quase nove vezes.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo