Queimado em ataque no MA deve ser transferido para outro hospital

Por george.ferreira

O paciente Márcio Ronny da Cruz, de 37 anos, vítima do ataque a ônibus em São Luís, deverá ser transferido para o Hospital de Queimaduras de Goiânia, unidade de referência no tratamento de queimados, assim que melhorar a condição clínica. Atualmente, ele está internado na UTI do HGG (Hospital Geral de Goiânia Alberto Rassi).

Segundo a assessoria do HGG, Márcio passou pelo segundo desbridamento na manhã desta segunda-feira, um procedimento cirúrgico para retirada de pele morta do paciente queimado. Ele segue sedado e respirando com a ajuda de aparelhos. Seu estado de saúde é grave, porém estável. Outros procedimentos de limpeza da pele ainda devem ocorrer.

Não há previsão para a data da transferência porque, segundo a assessoria do HGG, ela só deve ocorrer quando Márcio tiver melhores condições clínicas. No Hospital de Queimaduras serão realizados os procedimentos plásticos e de enxerto, a segunda fase de tratamento do chamado paciente grande queimado.

Caso Ana Clara

A paciente Juliane Carvalho Santos, que está internada no HRAN (Hospital Regional da Asa Norte), em Brasília, também passou por mais um desbridamento na manhã de hoje. Seu estado clínico está estável e ainda é considerado grave, porém houve melhora no quadro respiratório, segundo informa a Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

Juliane é mãe de Ana Clara, de seis anos, que morreu em decorrência das queimaduras. A filha mais nova de Juliane, Lorrane Beatriz, de 1 ano e 5 meses, continua internada no Hospital Estadual Infantil Juvêncio Matos, em São Luís, e suas feridas estão cicatrizando bem. Segundo as informações da Secretaria de Saúde do Maranhão, ela recebeu curativo cirúrgico na manhã desta segunda-feira e outro está programado para a próxima quarta, quando a criança poderá ser liberada.

Ataque a ônibus

Mãe e filhas estavam no ônibus que foi incendiado na Vila Sarney Filho, em São Luís. Na avaliação das autoridades maranhenses, os ataques foram uma reação às medidas adotadas para combater a criminalidade nas unidades prisionais da capital. A situação do sistema penitenciário do Maranhão mobiliza os governos estadual e federal, parlamentares e entidades da sociedade civil, segurança pública e direitos humanos.

Outra vítima do ataque ao ônibus, Abyancy Silva Santos, está internada no Hospital Geral do Maranhão Tarquinio Lopes Filho e recebe curativo cirúrgico amanhã. Segundo a Secretaria de Saúde do estado, após o procedimento, os médicos devem avaliar a possibilidade de alta da paciente.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo