Bandeirantes e Pacaembu terão novas linhas de ônibus

Por Caio Cuccino Teixeira
Avenida dos Bandeirantes ganhará mais linhas de ônibus | Adriano Vizoni / Folhapress Avenida dos Bandeirantes ganhará mais linhas de ônibus | Adriano Vizoni/Folhapress

A prefeitura vai criar neste ano novas linhas de ônibus nas chamadas “rotas de carros de passeio”. A ideia é incentivar o uso do transporte coletivo nas avenidas mais utilizadas pelos carros, como a Pacaembu, Bandeirantes, Brasil e 23 de Maio. Hoje, segundo a SPTrans, empresa que gerencia o transporte municipal, essas vias são pouco utilizadas por coletivos. Na Bandeirantes, por exemplo, circulam atualmente apenas 7 linhas. Na Pacaembu, 20.

A medida faz parte da reorganização do sistema de transporte que vem sendo feita pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT).

Desde de o início do ano passado, foram criadas 59 novas linhas e extintas 135. A quantidade representa 10%, do total (1,3 mil) da cidade.

A prefeitura afirma que o objetivo é acabar com linhas sobrepostas e aumentar a fluidez dos coletivos, diminuindo o tempo de espera nos pontos. Na prática, até agora, a medida vem causando transtornos aos passageiros que, com o fim das linhas, precisam pegar mais de um ônibus para chegar ao seu destino.

Segundo a SPTrans, a reorganização do sistema oferecerá aos usuários alternativas de trajetos mais curtos e rápidos. A empresa também afirma que nenhum dos 15 mil ônibus foi retirado de circulação, e que aumentou o número de coletivos nas linhas que não foram extintas.

Com a criação das novas linhas e a implantação das faixas exclusivas de ônibus, a SPTrans pretende aumentar a velocidade média dos coletivos, de 16 km/h para 25 km/h, até 2016.

No final do ano passado, a administração municipal afirmou ter atingido metade da meta. Segundo estudo da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), os coletivos estão andando, em média, 45,7% mais rápido, passando de 14,3 km/h para 20,8 Km/h.

Impasse

Principal projeto da prefeitura para o transporte público da capital, a licitação para a construção dos novos corredores de ônibus foi suspensa pelo TCM (Tribunal de Contas do Município) na semana passada.

Na decisão, o TCM apontou que os editais não indicam a origem da verba para as obras e que faltam os projetos básicos de engenharia e urbanismo. A prefeitura tem prazo de 15 dias para fornecer as explicações pedidas pelo tribunal. O secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou que a prefeitura irá fornecer todas as informações solicitadas pelo TCM.

[poll id=”167″]

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo