Detidos em "rolezinho" em shopping de SP são liberados

Por Tercio Braga
A polícia foi chamada para controlar o A polícia foi chamada para controlar o ‘rolezinho’ | Robson Ventura/Folhapress

Duas pessoas foram liberadas após um “rolezinho” no Shopping Itaquera, na zona leste de São Paulo. Durante o evento realizado ontem, três pessoas foram presas. Somente o menor de idade foi encaminhado a Fundação Casa, onde permanece apreendido.

Os encontros foram realizados em dois shoppings de São Paulo. Cerca de 5 mil pessoas participaram dos “rolezinhos”, eventos marcados pela internet.

O primeiro chamado aconteceu por volta das 17h de sábado para o Shopping Campo Limpo, na zona sul. Aproximadamente mil pessoas, que marcaram um encontro em uma rede social, lotaram o shopping. Com medo de arrastões nas lojas, a polícia foi acionada pelos administradores para o local e começou a dispersar os jovens. Em nota, o Shopping Campo Limpo nega que tenha ocorrido algum evento do tipo.

Mais tarde, por volta das 18h30, a polícia também foi acionada para outro “rolezinho”, desta vez no Shopping Metrô Itaquera. Outras 3 mil pessoas participaram do evento, que também foi marcado em uma rede social. Houve confronto no momento em que os policiais tentavam dispersar os jovens. Os agentes reagiram com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha. De acordo com a assessoria do Shopping Itaquera, algumas lojas abaixaram as portas até que a ordem fosse restabelecida pela segurança do centro comercial com o apoio da polícia. Às 19h30, o estabelecimento voltou a funcionar normalmente.

Em nota, o Shopping Itaquera reforçou que, no decorrer da semana, tomou todas as medidas preventivas reforçando sua segurança interna e solicitando, através de ofícios, o apoio de Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Guarda Civil Metropolitana. Além disso, o shopping entrou com um Interdito Proibitório, para não permitir nenhum tipo de tumulto dentro do estabelecimento. Até o momento não foi constatado nenhum tipo de furto ou roubo e ninguém ficou ferido.

Outro caso
Um “rolezinho” também foi marcado para o Shopping JK Iguatemi. Seguranças do estabelecimento, porém, impediram um a ação, marcada por usuários no Facebook. O centro comercial, frequentado principalmente por pessoas de classe média-alta, preveniu-se com o reforço da segurança na entrada.

Apenas meia porta estava aberta e os seguranças, além de pedirem RG para quem eles julgassem ser menores de idade, olhavam bolsas e mochilas de algumas pessoas.

Na entrada do shopping, havia um aviso dizendo que qualquer pessoa que fosse identificada nesse tipo de manifestação no interior do shopping pagaria uma multa de R$ 10 mil por dia.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo