Prefeito Fernando Haddad vive um verdadeiro inferno astral

Por fabiosaraiva

20140109_SP01_haddadApós ter sua proposta de reajuste de até 35% do IPTU barrada pela Justiça, o aquariano Fernando Haddad (PT), que completa 51 anos no dia 25, teve um novo revés nesta quarta-feira. O TCM (Tribunal de Contas do Município) suspendeu a licitação para a construção de 128 km de  um total de 150 km de corredores exclusivos para ônibus. O projeto é a principal aposta de Haddad para melhorar o transporte público e reverter os baixos índices de popularidade do ano passado.

Na decisão, o presidente do TCM, conselheiro Edson Simões, aponta que os editais apresentados pela prefeitura não indicam a origem da verba para o custeio das obras. Faltam, ainda, os projetos básicos de engenharia e urbanismo. Além disso, os detalhes dos impactos das intervenções previstas foram considerados incompletos pelo órgão de fiscalização.

Simões ainda coloca em xeque a escolha da prefeitura de fatiar em 10 concorrências a execução das obras de construção e expansão de  13 corredores, entre eles o da Celso Garcia, na zona leste, e o da 23 de Maio, na zona sul.

Ele também determinou o acompanhamento de todas as etapas do processo de licitação por técnicos do TCM, da fase inicial até a sua conclusão. A SPTrans, responsável pelo projeto, tem um prazo de 15 dias para apresentar todas as informações exigidas pelo órgão.

No total, o Plano de Mobilidade da administração Haddad prevê investimentos na ordem de R$ 4,8 bilhões para a conclusão de 150 km de corredores.

As obras, segundo a prefeitura, contarão com recursos do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade, que prevê  R$ 8 bilhões para obras de transporte público, de acordo com o governo federal.

Outro lado 

Em nota, a prefeitura informou que esse tipo de suspensão por parte do TCM é normal e já ocorreu em outras concorrências públicas, como nos casos da compra de uniformes escolares para auditoria do sistema de ônibus. Em ambos os casos, as suspensões foram derrubadas depois que a prefeitura esclareceu as dúvidas do TCM.

Com relação aos projetos básicos, a administração municipal informa que eles foram feitos e serão  apresentados ao tribunal no prazo de 15 dias estipulado pelo órgão. A administração municipal afirma que os projetos básicos para a construção dos corredores de ônibus custaram R$ 88 milhões e serão finalizados até junho. No caso dos recursos para o custeio dos projetos, a prefeitura afirma que irá comunicar ao tribunal que as obras contarão com financiamento do governo federal.

Plano de Mobilidade  foi promessa de campanha |   André Porto/Metro Plano de Mobilidade
foi promessa de campanha | André Porto/Metro

Caciques do PT também criticam gestão

A atuação de Haddad à frente da prefeitura de São Paulo já é alvo de críticas por parte de caciques do PT em Brasília, que temem o contágio de sua má avaliação na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, em outubro.

Para os líderes da legenda, Haddad tem sofrido muitos desgastes políticos,principalmente por conta das seguidas falhas de comunicação dentro de sua administração. O exemplo mais citado é  a fracassada tentativa de elevar em até 35% o IPTU.

Petistas que participam da formatação da campanha de Alexandre Padilha ao governo estadual já avaliam que, por enquanto, é melhor descolar a imagem do ministro da Saúde da gestão Haddad. Pelo menos até que sua administração seja melhor avaliada nas pesquisas.

 

Prefeitura fica sem dinheiro para pagar desapropriações

Sem dinheiro em caixa, o prefeito Fernando Haddad anunciou ontem a suspensão das desapropriações de áreas para conter gastos da administração municipal. Os locais seriam usados para a construção de creches, hospitais e casas populares.

O corte, segundo Haddad, é reflexo do veto ao aumento do IPTU em até 35%, barrado em dezembro pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Sem o reajuste, a administração municipal calcula uma perda de R$ 800 milhões em arrecadação. Além disso, o prefeito alega que São Paulo deixará de receber cerca de R$ 4,2 bilhões em investimentos, por falta de contrapartida aos projetos financiados pela União.

“Todo planejamento de investimento que estava sendo feito para a cidade fica comprometido porque boa parte desses recursos seria usada em desapropriações. E desapropriações só podem ser feitas com recursos próprios, não dá para pegar o dinheiro da União para desapropriar um terreno para o Minha Casa, Minha Vida, para creche e para construir um corredor”, disse.
Até o fim do mês, um pacote de cortes deverá será anunciado pela prefeitura.

Haddad definirá lista  de cortes nos próximos dias | Fábio Vieira / Fotoarena/Folhapress Haddad definirá lista
de cortes nos próximos dias | Fábio Vieira / Fotoarena/Folhapress

O congelamento de verbas vai afetar todas as secretarias, atingindo áreas importantes como educação, saúde, habitação e transportes. O Orçamento aprovado para 2014 é de R$ 50,6 bilhões.

“Todas as secretarias que dependem de desapropriação serão afetadas. Saúde, Habitação, Educação e Transportes dependem, então serão atingidas”, disse o prefeito ontem durante visita a um conjunto habitacional no Jabaquara, na zona sul da cidade.

 

Pelo menos três meses sem inspeção

Com o fim do contrato com a Controlar, responsável pelo serviço, no dia 31, a capital ficará pelo menos três meses sem o programa antipoluição.

A prefeitura de São Paulo promete finalizar no fim do mês o edital de licitação do novo modelo de inspeção. A previsão é de que, só na segunda quinzena de fevereiro, as empresas interessadas em assumir o serviço apresentem suas propostas.

Ontem, o prefeito Fernando Haddad (PT) informou que os vencedores da licitação devem iniciar os trabalhos 90 dias após a assinatura dos contratos, ou seja, apenas em maio. Até lá, não haverá multas para quem não passar pela vistoria.

Para o engenheiro Gabriel Murgel Branco, especialista em emissão de poluentes, os reflexos negativos serão sentidos no inverno, período de tempo seco. Segundo Branco, os níveis de monóxido de carbono, controlados nos últimos anos, podem registrar um aumento de até 50%.

 

Fábio Guinalz/Fotoarena/Folhapress Fábio Guinalz/Fotoarena/Folhapress

Controlar vai demitir 800 

A Controlar, que realiza a inspeção até o dia 31 por meio de uma decisão judicial, informou ontem que demitirá os 800 funcionários responsáveis pelos testes de emissão de poluentes. Eles receberão hoje o aviso prévio. A medida ocorre após a decisão da prefeitura de anular o contrato de prestação de serviço.

A empresa segue contestando a decisão da administração municipal, que alega o fim do tempo de vigência do contrato, na Justiça.

A Controlar ainda estuda se irá pedir ou não uma compensação financeira após o fim do contrato.

Questionado ontem se manteria a empresa até a conclusão da implantação do novo modelo de inspeção, o prefeito Fernando Haddad disse que só uma nova decisão judicial manteria a Controlar na prestação do serviço. “Não há como manter uma empresa condenada em 2a instância prestando um serviço essencial para a cidade. Queríamos romper esse contrato há muito tempo.”

 

 

controlar

 

Aquarianos precisam saber planejar

Para os aquarianos, como o prefeito Fernando Haddad, janeiro é um mês de “inferno astral”, o que significa a tormenta antes da calmaria. De acordo com a norte-americana Susan Miller, astróloga de reputação internacional, quando muitos planetas entram na décima segunda casa, como acontece nessa época do ano, alguns nativos de Aquário devem procurar ajuda de um “mentor”. Talvez o prefeito de São Paulo possa recorrer ao ex-presidente Lula para obter orientação. No plano da saúde, Haddad também pode ter problemas, de acordo com a astrologia. Diz Susan que “um parente ou amigo” pode se encontrar em estado delicado e será necessário que o prefeito ao menos entre em contato, se não puder estar presente nas visitas.Tudo isso, no entanto, pode ser contornado com planejamento. “Grandes anos tendem a não acontecer espontaneamente, mas de forma planejada”, escreve a astróloga.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo