Verba para canalização de córregos não saiu do papel

Por Carolina Santos

Relatório de execução orçamentária do município mostra que, mais uma vez, a prefeitura não se preparou para o período de chuvas. Dos R$ 600 mil destinados para canalização de córregos, nenhum centavo foi gasto. Por causa disso, as cenas de alagamento devem se repetir neste verão.

“Sem a canalização dos córregos, que desaguam nos rios Tietê e Pinheiros, as marginais vão continuar alagando com frequência”, diz o consultor ambiental Alessandro Azzoni.

Levantamento feito pelo Metro Jornal, com base nos relatórios do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), mostra que as marginais possuem 23 pontos sob pontes que alagam todos os anos pelo menos uma vez. Em primeiro lugar está a passagem sob a ponte Cidade Jardim, na marginal Pinheiros, que alagou 198 vezes nos últimos nove ano (veja ranking ao lado).

Segundo Azzoni, a prefeitura tem gasto dinheiro em intervenções que surtem pouco efeito. “São obras de butique como limpeza de bueiros e de piscinões. As obras pesadas, como em áreas de risco, canalização de córregos e construção de novos galerias não foram realizadas”. Segundo o meteorologista do CGE Adilson Nazário, a previsão para janeiro de 2014 é de 271,5 milímetros de chuva, acima dos 170 milímetros registrados em janeiro de 2013.

A Secretaria de Infraestrutura e Obras afirma que estão sendo feitas 79 obras de microdrenagem como contenção de margens, recuperação de galerias e implantação de seções de galerias. Também estão em andamento a canalização e construção de piscinões do córrego Cordeiro, e a canalização e construção de piscinão do córrego Ponte Baixa.

 

Pontes-alagamentos-marginal-tiete

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo