A história de um buraco que atormenta o Itaim

Por fabiosaraiva

Ele nasceu bem pequeno, no dia 3 de dezembro – uma terça-feira-, e foi praticamente ignorado pelos motoristas que circulavam pela rua Tabapuã, perto da avenida São Gabriel, no Itaim, bairro que tem um dos metros quadrados mais caros da cidade.

Dois dias depois, o buraco já estava bem maior. Sem sinalização nenhuma, motoristas acabavam sendo surpreendidos quando já não havia mais tempo para desviar.

As cenas se repetiram até a sexta-feira, dia 6, quando a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) finalmente colocou um super-cone para alertar os motoristas.

A partir daí, o trânsito na rua Tabapuã, que já é complicado, ficou ainda pior. Mas o super-cone não durou muito. No dia 10, ele foi roubado e o buraco voltou a ficar sem sinalização.

Alertada, a CET colocou um novo super-cone no dia seguinte. Neste mesmo dia, o Metro Jornal cobrou providências da Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, responsável  pelo serviço, disse que a responsabilidade era da Sabesp, e que o serviço seria realizado até o dia 12, uma quinta-feira.

No dia 13, o serviço foi concluído, mas não ficou muito bom (veja foto).

Sem a camada de asfalto, o desnível continuou maltratando os pneus dos motoristas desavisados por mais uma semana.  Em nota, a Sabesp prometeu concluir os reparos nesta sexta-feira.

buraco-2

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo