Água imprópria faz USP Leste antecipar férias

Por Carolina Santos
Escola de artes, ciências e humanidade, conhecida como USP Leste | Jorge Maruta/ Jornal da USP Escola de artes, ciências e humanidade, conhecida como USP Leste | Jorge Maruta/ Jornal da USP

Os alunos da USP Leste já estão de férias. O fim das aulas estava previso para sexta-feira, mas a universidade antecipou o fim do ano letivo  porque a água dos reservatórios está imprópria. Também há problemas com piolhos de pombo.

Na sexta-feira, a Sabesp, analisou as condições da água fornecida pela universidade e encontrou turbidez e bactérias indevidas na composição do líquido.

Por conta disso, a universidade desativou os bebedouros e disponibilizou água mineral por garrafões.

Mais de 4 mil pessoas, entre alunos e funcionários, passam diariamente pelo campus.

Outro motivo para a antecipação das férias é a infestação de piolhos de pombas o campus. Na semana passada, três salas de aula tiveram de ser interditadas por causa do problema.

A USP afirma que já estava prevista a dedetização e desratização do campus durante o recesso de fim de ano, e que a limpeza dos reservatórios começou no final de semana e deve terminar hoje.

A antecipação das férias prejudica os alunos que não vão poder repor por completo as aulas perdidas em setembro, quando houve uma greve que durou cerca de um mês.

A paralização aconteceu por causa da contaminação de metano no solo do campus, o que oferecia risco a alunos, funcionários e professores.

À época, a Cetesb (agência ambiental paulista) interditou o campus e multou a universidade por não atender às exigências técnicas.

O retorno às aulas foi mantido para o dia 6 de janeiro de 2014.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo