Laudo de Champinha é desfavorável ao réu, diz promotora

Por Carolina Santos
Champinha foi detido em 2003, quando tinha 16 anos | Reprodução Champinha foi detido em 2003, quando tinha 16 anos | Reprodução

O laudo que analisou as condições de Champinha, preso por assassinar o casal de namorados Liana Friedenbach e Felipe Caffé, é desfavorável ao réu, afirmou a promotora que acompanha o caso Maria Gabriela Manssur.

Ela teve acesso aos resultados técnicos da perícia e reafirma que o homem é “um monstro irrecuperável”.

A promotora não deu detalhes do conteúdo do documento pericial por se tratar de segredo de Justiça, mas deixou claro que o rapaz não pode ser colocado em liberdade.

Nesta terça-feira, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça negou, por unanimidade, autorização a Roberto Aparecido Alves Cardoso, conhecido com o Champinha, para deixar o hospital psiquiátrico.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo