Rota vai reforçar policiamento no litoral de São Paulo

Por Carolina Santos
Efetivo da Rota será deslocado para a Baixada Santista / Futura Press/Folhapress Efetivo da Rota será deslocado para a Baixada Santista / Futura Press/Folhapress

A Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) vai reforçar o policiamento na Baixada Santista, no litoral de São Paulo, durante a Operação Verão, que ocorrerá de 26 de dezembro a 2 de fevereiro.

O grupo da Polícia Militar fará parte do contingente de dois mil homens que será realocado para o litoral paulista durante as férias, que também incluirá agentes do COE (Comando de Operações Especiais).

A informação é do delegado regional Aldo Galiano, que em entrevista ao programa “Manhã Bandeirantes”, da Rádio Bandeirantes, afirmou que o efetivo policial na áerea precisa de um reforço substancial.

“Não podemos prescindir o policiamento preventivo, (usado) só na Operação Verão. Precisamos em todos os finais de semana. No último feriado prolongado, para nós as estatísticas foram um terror”, disse Galiano.

Segundo ele, como medida inicial para coibir a criminalidade na Baixada Santista, parte do contingente deslocado será mantido na região, onde também será instalado um sistema de monitoramento por vídeo em nove cidades.

Fim de semana violento

Dois turistas foram mortos em estradas que ligam São Paulo ao litoral do Estado no último final de semana.

No sábado (7), o empresário canadense Dean Tiessen, que viaja com um amigo britânico, morreu após ser atingido por dois tiros na Rodovia Anchieta, quando voltava do Guarujá. Segundo a polícia, o carro em que ele viajava pode ter sido confundido com a escolta de um caminhão, abordado pelos criminosos momentos antes no mesmo trecho.

Outra vítima da violência nas estradas da Baixada Santista foi Edi Nelson Manuel de Barros, de 27 anos, morador de Diadema, na Grande São Paulo. Ele voltava de Santos com a família e amigos, na madrugada de domingo (8), após ver uma casa que o grupo pretendia alugar para o Ano Novo.

Ao parar na Rodovia Padre Manuel da Nóbrega por causa de uma pedra na estrada, o grupo foi rendido e o jovem acabou baleado ao fazer um movimento brusco. Atendido em um hospital da região, ele não resistiu ao ferimento.

Segundo o delegado regional Aldo Galiano, quase todos os latrocínios esclarecidos na Baixada Santista envolvem menores, e por isso ele defende a redução na maioridade penal. “Eu não concebo que um menor de 15, 16 anos, não tenha consciência que matar para roubar é crime”, justificou. “Tem de haver uma mudança na legislação.”

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo