Lei de trânsito endureceu, mas motorista ainda bebe

Por Carolina Santos
Alheios aos perigos, condutores  continuam ingerindo álcool antes de dirigir | Alessandro Shinoda/ Folhapress Alheios aos perigos, condutores
continuam ingerindo álcool antes de dirigir | Alessandro Shinoda/ Folhapress

Os feriados nacionais se aproximam e muita gente já está ansiosa por colocar o carro na estrada.

Mas antes de pensar em relaxar e aproveitar o momento para beber e descontrair, é importante que o motorista fique atento ao comportamento que adotará enquanto estiver em trânsito.

Pequenas atitudes como não ingerir álcool antes de dirigir, não utilizar o telefone celular ao volante, usar o cinto de segurança e respeitar a prioridade dos pedestres podem contribuir muito para reduzir os índices de acidentes de trânsito, sobretudo com vítimas fatais.

Dados divulgados recentemente pelo Ministério da Saúde, por exemplo, indicam o forte impacto do consumo de bebidas alcoólicas em acidentes automobilísticos no país. Em 2011 foram registradas 42.425 mortes no trânsito e, neste mesmo ano, uma em cada cinco vítimas atendidas em prontos-socorros afirmaram ter ingerido álcool ou apresentaram resultados positivos em exames.

“Essa falta de percepção de risco pessoal é preocupante, pois existe uma clara associação entre o álcool e o número de acidentes e mortes no trânsito. As pessoas precisam se conscientizar de que beber e dirigir representa um dano para toda a sociedade”, diz o diretor-presidente do Detran.SP, Daniel Annenberg.

Na capital paulista, uma pesquisa recente do Detran indica que 47,7% dos entrevistados acreditam que o consumo de álcool não os prejudica.Captura de Tela 2013-10-29 às 19.58.02

No Rio Grande do Sul, por exemplo, 22,34% dos 64.032 motoristas abordados entre setembro de 2011 e agosto deste ano foram autuados durante blitzes da Operação Balada Segura.

No Distrito Federal, de janeiro a julho deste ano foram registradas 4.720 infrações de trânsito relacionadas ao consumo de álcool. O número corresponde a mais da metade do que foi registrado durante todo o ano de 2012, 7.380.

No Paraná, a situação é ainda pior, já que 8.031 motoristas foram autuados por dirigir sob influência de álcool ou entorpecentes no mesmo período.

Mas não é apenas o álcool que assusta as autoridades. Ainda no Paraná, conduzir o veículo enquanto se está ao celular ocupa o oitavo lugar no ranking de infrações.

Para alertar os motoristas sobre estes riscos, está no ar uma campanha do Parada (Pacto Nacional pela Redução de Acidentes), em que situações cotidianas são retratadas para indicar o quanto é perigoso usar o celular no trânsito. Cortar carne enquanto fala ao telefone ou manusear uma serra elétrica são alguns exemplos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo