Controladoria Geral investigou 140 mil servidores da prefeitura

A operação da polícia que prendeu funcionários da Prefeitura de São Paulo que teriam favorecido empresas durante a gestão Kassab começou em março e monitorou mais de 140 mil servidores. As informações são da colunista da BandNews FM Mônica Bergamo.

Ouça também:

Mônica Bergamo disse que Controladoria fez cruzamentos de dados sobre o patrimônio dos investigados

Segundo informações levantadas pela jornalista, os servidores enviaram para uma central todo seu patrimônio declarado. A partir daí, a Controladoria Geral do Munícipio começou a fazer um cruzamento de dados das declarações com o que eles realmente possuíam. Para isso usaram serviços como o registro geral de imóveis.

Leia também:

Ex-prefeito Gilberto Kassab diz que Secretaria tinha autonomia 

Servidores da prefeitura de São Paulo são alvo de ação da polícia

 

Foi detectado então que cerca de mil funcionários tinham patrimônio muito superior ao que sua renda permitia. A Controladoria compartilhou então as informações com o MP (Ministério Público), que pediu a quebra dos sigilos fiscais, bancários e telefônicos dos suspeitos.

As investigações apontam que houve desvio de ao menos R$ 200 milhões, mas o valor pode alcançar os R$ 500 milhões.

Entre os envolvidos estaria o antigo sub-secrtário de Finanças da cidade. O ex-prefeito Kassab negou envolvimento e disse que não nomeou nenhum desses funcionários envolvidos, já que o secretário de Finanças tinha autonomia para isso.

Loading...
Revisa el siguiente artículo