PRF terá efetivo maior para conter manifestantes no Jaçanã

Por BAND

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) terá um efetivo maior nesta terça para conter atos criminosos, como os que aconteceram na noite de ontem na rodovia Fernão Dias, na região do bairro do Jaçanã, na zona norte de São Paulo. “Será um efetivo que vai conseguir atender a demanda já a partir de hoje”, disse, à Rádio Bandeirantes, o superintendente da 6ª Regional do Departamento da PRF, Sérgio Heleno Azevedo de Amorim.

Veja também:

Jaçanã amanhece com marcas do protesto pela morte de garoto

Detidos no Jaçanã devem ser liberados nesta terça-feira

A respeito do episódio de segunda-feira, o superintendente diz que a rodovia possui um “policiamento diário, de trecho, que atende as demandas normais”. “Ele [o efetivo] estava presente, mas ultrapassou a capacidade de enfrentamento. Então foi necessária a mobilização de outras forças, com a Polícia Militar e a Tropa de Choque. E ela demorou algum tempo. Não tínhamos como fazer um enfrentamento direto sem a mobilização”.

A presença do reforço justifica-se pelo tipo de ação policial. “A força de choque é a estratégia, é o trabalho conjunto para que não haja o disparo de uma arma de fogo contra um manifestante, mesmo ele incendiando um veículo”.

Amorim frisa que os atos criminosos não começaram na rodovia, mas nos bairros próximos. Por isso, eles já terão um monitoramento maior a partir de hoje. “Ações estão sendo tomadas para que tenhamos essa mobilização muito mais efetivamente, procurando soluções imediatas para que a gente possa agir”.

O temor de Amorim é que as cenas de ontem voltem a se repetir com mais constância até a Copa do Mundo. “Esses eventos não podem tornar a acontecer. Esse é o número um das prioridades que nós temos”.

Novos ataques

A terça-feira é de tensão na região do Jaçanã, onde ataques criminosos aconteceram na noite de ontem. Relatos de moradores à Rádio Bandeirantes apontam que já há movimentação de pessoas se preparando para ataques parecidos com os da segunda-feira. “Moleques passam de bicicleta, com galões de gasolina”, relata uma moradora, que preferiu não se identificar.

Nesta manhã, o comércio permaneceu fechado. Proprietários de estabelecimentos comerciais chegaram a ir até seus imóveis para contabilizar os estragos feitos pelos vândalos na segunda-feira. A reportagem da Rádio Bandeirantes encontrou alguns comerciantes chorando diante das cenas de destruição. Suas lojas foram saqueadas e danificadas.

Os moradores contam que estão assustados e com sensação de abandono. “Cadê o nosso vereador de bairro? Precisamos que o governador se manifeste. A polícia vem, mas precisa ter ordem para atacar”, fala a moradora. A região que sofreu com os ataques já foi sobrevoada pelo helicóptero Águia, da polícia, nesta manhã.

Detidos

A série de atos de violência na região do Jaçanã, bairro da zona norte de São Paulo, deve terminar sem nenhum preso. Ontem, sob pretexto de se manifestarem contra a morte de um adolescente por um policial militar, criminosos realizaram roubos e incendiaram veículos.

Inicialmente, a Polícia Militar informou que 90 pessoas haviam sido detidas, mas apenas 34 foram levadas pra delegacia. Porém, todas devem ser liberadas ao longo da manhã, de acordo com informações dadas pelo delegado do caso à Rádio Bandeirantes.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo