Detidos no Jaçanã devem ser liberados nesta terça-feira

Por BAND
Ônibus e caminhões foram atingidos no protesto | Sigmapress/Folhapress Ônibus e caminhões foram atingidos no protesto | Sigmapress/Folhapress

Apenas 34, das 90 pessoas detidas durante protesto contra a ação policial que resultou na morte do estudante de 17 anos no Jaçanã  foram levadas pra delegacia. Porém, todas devem ser liberadas ao longo da manhã, de acordo com informações dadas pelo delegado do caso à Rádio Bandeirantes.

Incendiados

Quatro ônibus e quatro caminhões foram incendiados na Rodovia Fernão Dias, que ficou totalmente bloqueada no quilômetro 86 por volta das 18 horas. O trânsito só foi liberado no sentido São Paulo por volta das 20h30. Os motoristas ainda passavam pelo acostamento no sentido para Belo Horizonte.

 

Veja cenas do protesto:

 

Ainda de acordo com informações da polícia, um carro chegou a ser incendiado pelos manifestantes. O comércio local foi vítima de depredações. Uma pessoa foi baleada após tentativa de assalto. Motoristas que ficaram presos no congestionamento relataram casos de arrastão e o bloqueio em protesto durou mais de quatro horas.

 

De acordo com a concessionária Autopista Fernão Dias, o bloqueio e os incêndios de caminhões causaram um congestionamento de 10 quilômetros nos dois sentidos. A Polícia Rodoviária Federal, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar de São Paulo trabalharam no local para descongestionar as faixas da rodovia.

Ajuda federal

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o secretário Fernando Grella entrou em contato com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para estabelecer uma ação conjunta com o governo federal para o congestionamento, pois a rodovia é federal. Desde 2008, no entanto, o trecho onde ocorre o bloqueio, entre Contagem (MG) e Guarulhos (SP), é administrado pela Autopista.

Segundo o Ministério da Justiça, durante a conversa, Fernando Grella solicitou ao ministro que a Força Nacional de Segurança atue no local. Grella também pediu que uma operação de inteligência seja montada pelo ministério.

Protesto repetido

No domingo, os moradores também protestaram contra a ação da PM que terminou com a morte do jovem de 17 anos. A polícia foi chamada às 14h para atender a uma ocorrência de perturbação de sossego. No local, havia uma aglomeração e um carro com som alto. De acordo com a PM, ao descer do carro para iniciar a abordagem, um soldado fez um disparo acidental e atingiu o rapaz. A vítima foi levada ao Pronto-Socorro de Jaçanã, mas não resistiu ao ferimento e morreu.

O policial que matou o adolescente foi autuado em flagrante por homicídio culposo, que não tem intenção de matar, e responderá processo criminal. Segundo a Polícia Militar, o motivo da abordagem ainda será esclarecido.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo