Mais um PM presta depoimento sobre o Caso Amarildo

Por george.ferreira
Mais um policial militar da UPP da Rocinha, no Rio de Janeiro, prestou depoimento sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza | Tânia Rego / ABr Mais um policial militar da UPP da Rocinha, no Rio de Janeiro, prestou depoimento sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza | Tânia Rego / ABr

Mais um policial militar da UPP da Rocinha, no Rio de Janeiro, prestou depoimento sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza.

O agente também acusou os PMs já presos de torturarem até a morte o ajudante de pedreiro. Com essas declarações, subiu para cinco o número de policiais que decidiram colaborar com as investigações.

Dez PMs, entre eles o ex-comandante da UPP da Rocinha, major Edson Santos, estão presos e foram denunciados pelos crimes de tortura seguida de morte e ocultação de cadáver.

Na última sexta-feira, o major e o tenente Luis Felipe de Medeiros foram transferidos da unidade prisional da PM para o presídio de Bangu 8.

Os promotores acreditam que eles impediram colegas presos de prestar novas declarações. O Ministério Público tenta convencer os PMs detidos a falar o que sabem em troca da redução da pena, em caso de condenação.

Ainda esta semana, outros policiais da UPP serão denunciados pelos promotores por participação no crime.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo