Corregedoria cria grupo para investigar policiais ligados ao PCC

Por Carolina Santos
Homens do Corpo de Bombeiros tentam conter fogo em um ônibus que foi atacado pela facção criminosa PCC | Rogério Cassimiro/ Folhapress Homens do Corpo de Bombeiros tentam conter fogo em um ônibus na Vila Madalena que foi atacado pela facção criminosa PCC, em julho de 2006 | Rogério Cassimiro/ Folhapress

A Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo anunciou, nesta terça-feira, a criação de um grupo para investigar o envolvimento de policiais civis com o PCC (Primeiro Comando da Capital), que age dentro e fora de presídios do Estado.

A portaria com a criação da Equipe Corregedora de Combate a Facções Criminosas foi publicada no Diário Oficial da União.

A medida é uma reação do governo a descobertas do Ministério Público em uma investigação que durou três anos.

Prisões

Na semana passada, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) negou o pedido do Ministério Público de prisão preventiva de 175 suspeitos de ligação com o PCC. No despacho, o desembargador, em síntese, diz que o pedido “não deve ser julgado apenas por um magistrado, mas pelo colegiado”.

 

Dos 175 denunciados, 115 já estão presos por participação em outros crimes. Um pedido de prisão preventiva já havia sido negado anteriormente.

Loading...
Revisa el siguiente artículo