Ativistas são indiciados após incendiar carros durante protesto

Por fabiosaraiva

Dois ativistas suspeitos de terem ateado fogo, neste sábado, em uma viatura da Polícia Militar durante um protesto contra o Instituto Royal, foram indiciados. O caso aconteceu na Rodovia Raposo Tavares. A empresa realiza testes farmacêuticos e de cosméticos em animais na região de São Roque, no interior de São Paulo.

Ao todo, quatro pessoas foram presas durante o ato. Duas delas já foram liberadas. A manifestação teve inicio por volta das 6h45 (de Brasília) da manhã deste sábado, no quilometro 56 da rodovia, nos dois sentidos.

Leia também:

Ativistas invadem laboratório e resgatam cães usados em testes

Animais soltos não tinham sinais de maus-tratos, diz promotor

Protesto contra empresa que faz testes em cães bloqueia rodovia

Quatro são detidos em protesto contra testes em animais

Segundo a CCR, vários veículos epararam no acostamento, com impossibilidade de tráfego, pois os ativistas seguiiram em passeata no local.

Uma minoria dos presentes no protesto chegou a promover inicio de confusão, e dois carros – um deles pertencente à PM – foram incendiados durante a passeata.

O caso

Ativistas e integrantes de ONGs de defesa dos animais invadiram o Instituto Royal, em São Roque, no interior paulista, para resgatar cães da raça Beagle. Os animais, entre outros bichos, eram mantidos em cativeiro para testes e pesquisas na fabricação de medicamentos e cosméticos.

Um pequeno grupo de manifestantes estava acampado em frente o laboratório desde o início da semana após um protesto pelas ruas da cidade no último sábado.

Em entrevista à Bandnews FM, a ativista Juliana Stefaninni afirmou que alguns dos animais estavam mutilados. Às 2h desta sexta, mesmo com a presença da Polícia Militar e da Guarda Municipal, parte das cerca de 100 pessoas que estavam no local quebrou um dos portões, invadiu o laboratório e recolheu dezenas de cães.

[poll id=”81″]

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo