Fraude em alvarás da boate Kiss pode incriminar poder público

Por Tercio Braga

Fraudes em documentos que permitiram o funcionamento da boate Kiss podem incriminar servidores municipais de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Até mesmo o prefeito pode responder pela tragédia, que deixou 242 mortos, em janeiro.

Reportagem de Luci Jorge
Felip Kirchner – subdefensor público/RS

Loading...
Revisa el siguiente artículo