Após tentativa de estupro, diretor promete mudar banheiros da Poli

Por Carolina Santos

Após a tentativa de estupro contra uma estudante da USP (Universidade de São Paulo), o diretor da Escola Politécnica, José Roberto Cardoso, diz que vai mudar a posição dos banheiros masculino e feminino no prédio da faculdade. “O feminino é muito escondido. Trocando, ele ficaria próximo da segurança”, disse à BandNews FM.

 

Outra medida diz respeito às câmeras de segurança, que não estavam funcionando. “[Elas] já estão em processo de compra”, afirmou.

 

Para a aluna, de 23 anos, o diretor disse que foi apresentado um plano de segurança especial para ela. “Nós oferecemos segurança permanente caso ela se sinta insegura de voltar ao nosso convívio”.

 

Sindicância

A diretoria da Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo) também vai abrir uma sindicância para apurar falhas na segurança. Na manhã de ontem, uma estudante de engenharia sofreu uma tentativa de estupro dentro da Cidade Universitária. O diretor da Poli, José Roberto Cardoso, aguarda o encaminhamento do boletim de ocorrência para instaurar a sindicância.

 

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), a vítima, de 23 anos, foi até o banheiro feminino para se maquiar. A jovem contou à polícia que várias mulheres entraram e saíram, mas uma das cabines do banheiro permaneceu fechada. Após cerca de cinco minutos, a estudante escutou a porta da cabine abrir, mas não olhou em direção a ela. Foi neste momento que, pelo espelho, ela viu a aproximação de um homem de cor parda, 1,65m de altura, aparentando ter entre 20 e 30 anos.

 

Ele agarrou a vítima pelas costas e tentou arrastá-la para uma das cabines, com uma das mãos sobre a boca dela. A jovem conseguiu se desvencilhar do criminoso e fugir. Ela correu para o primeiro andar e pediu ajuda.

 

 Vídeo mostra câmeras inoperantes na USP

 

O estuprador conseguiu fugir sem ser flagrado pelas câmeras de segurança, que não estão funcionando. A Guarda Universitária realizou buscas pela região, mas não encontrou nenhum suspeito.

 

Com pequenas lesões na boca, a vítima foi levada pelos guardas até o Hospital Universitário, onde foi medicada. A jovem ainda contou à polícia que não chegou a ser violentada. Um exame de corpo e delito também foi pedido.

 

Caso de violência

Em maio de 2011, o estudante Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi assassinado no estacionamento da FEA (Faculdade de Economia e Administração) da USP. O crime foi cometido por um homem de 20 anos junto de seu comparsa, um menor de 14 anos. Felipe foi encontrado morto com um tiro na cabeça ao lado de seu veículo.

 

Assalto

No fim de junho, um trio de criminosos assaltou o prédio da faculdade de História da USP. Eles amarraram os três seguranças e os colocaram no banheiro, onde ficaram sob a guarda de um dos criminosos. Enquanto isso, os outros dois foram até o laboratório de audiovisual e roubaram alguns equipamentos e um notebook.

 

Invasão

Em maio deste ano, ladrões invadiram o campus da USP Leste e roubaram caixas eletrônicos. Segundo a polícia, os suspeitos fizeram vários reféns e renderam os vigias da USP.

Loading...
Revisa el siguiente artículo