Policial é morto na Cidade de Deus. Dois suspeitos foram presos

No mesmo dia em que as forças de segurança dos governos estadual e federal ocuparam as comunidades do Complexo do Lins, o policial militar Anderson Dias Brazuna, de 34 anos, lotado desde 2009 na Unidade de Polícia Pacificadora  da Cidade de Deus, morreu após ser atingido por um tiro na axila, na noite deste domingo. Pelo menos dois suspeitos foram detidos e encaminhados para a 32ª DP, de acordo com um dos policiais que atua na ocorrência.

Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, o crime aconteceu depois que policiais da UPP da comunidade foram checar uma denúncia sobre a existência de um automóvel roubado no interior da favela, na localidade conhecida como “AP”. Em nota, a coordenadoria informa, ainda, que “chegando ao local, os policiais encontraram o veículo parado em frente a um bar com dois homens dentro. Os policiais fizeram uma revista e levavam os homens para averiguação na delegacia, quando moradores da comunidade tentaram impedir a ação dos policiais. Houve um princípio de tumulto, quando dois homens em uma moto passaram atirando contra os policiais, que revidaram”.

Brazuna foi atingido no confronto e levado em estado gravíssimo para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade de Deus, mas não resistiu ao ferimento e morreu. De acordo com a coordenadoria, na ação, os homens abordados no carro envolvido na denúncia e os criminosos fugiram. Policiais fazem buscas para encontrar os autores dos disparos que mataram o policial. Os dois suspeitos detidos até o momento não foram identificados. Eles serão ouvidos pelo delegado de plantão na 32º DP (Taquara) ainda neste domingo.

A Divisão de Homicídios (DH) foi acionada e investigará o caso. De acordo com a Polícia Militar, Brazuna, que estava na corporação há cinco anos, foi baleado na Avenida Miguel Salazar Mendes de Moraes, em Jacarepaguá. Ele estava usando um colete à prova de balas.A Cidade de Deus, construída nos anos 60 pelo então governador Carlos Lacerda, através da extinta Companhia de Habitação  Popular do Estado da Guanabara (COHAB GB) – também responsável pela criação de vários outros núcleos de habitação de interesse social -, teve sua UPP implantada em 2009. A comunidade, que em seu formato original tinha cerca de 3053 unidades, hoje tem cerca de 120 mil habitantes ocupando cerca de 2.099.531 m² entre a Barra e Jacarepaguá, tornado a UPP que serve a região a maior do Rio em termos de área territorial.

A ocupação das 12 comunidades que formam o Complexo do Lins dá ao Rio sua 36ª sexta UPP, em, implantadas ao longo dos últimos cinco anos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo